terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Mais do mesmo - parte 2

Recebí o resultado do teste.
E deu o que eu esperava. Vou ter quer voltar para fazer a continuação do exame com um novo teste chamado de GTT (Teste de tolerância à Glicose), por que o resultado do primeiro teste foi alto. Agora terei que fazer tudo em jejum e beber de novo aquele xarope nojento (eka!) e tirar 3 x sangue.

Se vocês me perguntarem como foram as minhas últimas 4 ou 5 semanas, eu posso dizer que eu tirei sangue pelo menos uma vez por semana. E por mais que tirar sangue não seja a minha definição de "diversão", eu estou achando tudo muito bom! Vejam que se não fosse a empresa oferecer a opção de fazer um exame médico preventivo, eles (médicos & obstetrizes) não teriam pedido mais exames.
Desde o início da gravidez, eu só tirei sangue com 10 ou 12 semanas de gravidez e lá pela semana 30 furaram o meu dedo para ver como estava a minha taxa de ferro no sangue. Nem exame de urina foi pedido (mas, eu fiz uma vez pelo meu médico de casa).

Então, nesse ponto, se você não demonstrar nenhum sintoma óbvio, nenhum exame extra é feito durante a gravidez. E agora que esses exames extras estão sendo pedidos, em vez de ficar assustada, eu estou me sentindo justamente mais segura e até mesmo tranquila.
Além disso, se tiverem que me transferir dos cuidados da obstetrizes (não que elas não sejam capacitadas!) para um ginecologista, eu acho melhor ainda!... Assim, quando o parto começar, em vez de eu estar ligando para a obstetriz e ela decidir quando eu tenho que ir para o hospital, eu ligo ou vou direto para o hospital. Ou seja, me parece bem menos burocrático e seguro! Sem falar que eles irão fazer mais controles no bebê após o nascimento. Embora algo me diga que não vá chegar à tanto...

E pulando do parto pra torta (pulo enorme, eu sei!)...
Deixa eu dizer aqui que eu gostei de todas as tortas, maaaaas eu confesso que minhas preferidas, por incrível que pareça, sejam as mais simples!

Ana, eu achei as do bebê dormindo justamente as mais "fofas" (e também é bem mais fácil de fazer! :)). A da lua, eu achei a torta bonita, mas também não faço questão da lua em cima ( e agora que vc comparou com uma camisinha, impossível eu desassociar a comparação de novo!ha ha). Na verdade, eu prefiro algo simples como uma chupeta (o caso da torta rosa nr 3), um ursinho ou o bebê dormindo em cima.

E advinhem só, descobrí que não muito longe da minha casa tem uma loja que vende todos esses artigos para se fazer a torta e ainda oferece "workshops" que ensinam como fazer! Então é isso! Eu já estou achando sarna para me coçar assim que eu entrar de licença. Em vez de ficar contando os milésimos de segundo passarem, eu irei comprar livros e usar a minha criatividade na cozinha. Isso sim, será a minha terapia para relaxar!... :)

Enfim, je-me-fui! :p

ps: ah! e para quem estiver na Holanda e também tiver interesse, eu também achei um site que vende todos esses artigos para fazer tortas de festas: http://www.fantaartisch.nl/. Fica aqui a dica!.

domingo, 28 de dezembro de 2008

Mais do mesmo...

Teste O'Sullivan:
Na semana antes de entrar de férias, a empresa onde eu trabalho ofereceu um exame médico voluntário para todos os empregados. O exame constava de vários testes entre eles o de vista, pressão e de sangue. Eu, como sempre fui à favor de exames de prevenção, fiz e pedí então que, assim que soubessem o resultado e que se houvesse algo de importante devido a minha gravidez, que eles me avisassem o mais rápido possível. Dito e feito. Dia 24, véspera de Natal, o médico da empresa me liga às 9hrs da manhã para dizer que eu estava com a taxa de açúcar alta (8.8 - enquanto o máximo aceitável é 7.0) e me aconselhou ir ao médico o mais rápido possível para mais exames. No mesmo dia eu tinha consulta com a obstetriz e passei o resultado do meu exame de sangue pra ela. Na mesma hora ela resolveu furar o meu dedo e medir o açúcar de novo, já que o exame anterior foi feito 20 min depois do meu almoço e quando eu estava com ela já fazia 1hr e meia que eu tinha tomado o café da manhã. E o resultado foi 7.7, ou seja, ainda estava alto. Para ter certeza se estou ou não com diabetes gestacional, ela me indicou ir ao hospital para fazer um exame de sangue chamado de O'Sullivan.

Eu nunca tinha ouvido falar desse teste, mas dizem que é um exame bastante comum para gestantes. Eu terei que me apresentar amanhã na policlínica, onde eu terei que tomar uma quantidade de um líquido extremamente adocicado e exatamente depois de uma hora (de espera), eles vão tirar o meu sangue. Se o resultado não for "bom", eu provavelmente terei que fazer novamente, mas na 2a vez será em jejum e eles irão tirar o meu sangue duas vezes (1hr e 2hr depois do líquido ingerido). Se for constatado 'diabetes gestacional', eu deverei seguir uma dieta especial e dependendo do grau da diabetes, eu serei transferida dos cuidados da obstretriz à um ginecologista. Além disso, meu parto receberá indicação médica hospitalar, ou seja, mesmo que eu quizesse ter o parto em casa (nunca quiz mesmo!), eu sou obrigada a ter no hospital devido à riscos com relação ao bebê (após o parto).

E o bebê?
No momento, por mais que eu esteja com a taxa de açúcar elevada (e já tenha ajustado a minha alimentação por causa disso!), nem a obstetriz, nem eu e nem Amore acreditamos que seja algo para ficar alarmada. Claro que quando você escuta uma notícia dessas, qualquer pessoa ficaria preocupada, mas depois de verificarmos os outros dados como o meu aumento de peso, o crescimento do bebê e a minha pressão, todos nós ficamos mais calmos. A obstetriz olhou a minha ficha e desde da minha primeira pesagem - com 10 semanas de gravidez até agora (semana 32 - início do 8a mês) eu só engordei 8 quilos! E a média aconselhada até o final da gravidez são 12 quilos... Em caso de diabetes, geralmente a mulher "dispara" no aumento de peso, o que não é o meu caso. Além disso, as medidas do bebê estão também de acordo com o período da minha gestação e nada acima do normal. E por último, a minha pressão continua ótima (12 por 7). Então, no momento, não parece que eu seja um caso de risco (alto) no momento. Só terei que tomar maiores cuidados com a alimentação e que sinceramente, não está sendo (no momento!) problema nenhum!...

O fogo vai ser no chá de bebê quando terei salgadinhos e docinhos Brasileiros, além de uma torta maravilhosa que estou pensando em fazer! :s...

E por falar em torta...
Eu adoro e acho lindodivinoemaravilhoso tortas de todos os tipos! Principalmente aquelas com decoração "de festa". Pesquisei na net alguns "modelos" para tirar inspiração e fiquei babando! Não sei qual é a mais bonita!
Sei que a minha não ficará assim tão supimpa, mas eu sei que com a ajuda da minha irmã mais velha (ótima cozinheira e doceira!) e da minha mãe (mãos de ouro!), que a nossa versão também ficará legal!

E aí qual é mais "bonita" na opinião de vocês???! :D


nr 1


nr 2


nr 3


nr 4


nr 5


nr 6


nr 7


nr 8


nr 9


nr 10


nr 11


nr 12


nr 13


nr 14


nr 15

ps: claro que as versões "rosas" seriam adaptados para uma versão "verde ou azul"... ;)

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

De tudo um pouco...

- Hoje é o segundo dia de Natal aqui na Holanda. Uma tranquilidade, uma paz e um frrrrioooo (- 10 graus!) que é ótimo para ficar em casa!

- Nós tivemos um Natal maravilhoso. Dia 24 nós fomos a missa Natalina das crianças com direito a orquestra e coro infantil que é sempre muito bonito. A igreja estava lotada, o que é difícil acontecer aqui na Holanda. Depois tivemos a ceia na casa da minha irmã mais velha e a troca de presentes. Tudo muito alegre e agradável. A alegria dos meus sobrinhos me lembrou muito os meus Natais quando criança em Belém... Quando criança os presentes falavam mais alto, enquanto hoje em dia, a minha felicidade é ter a família unida e saudável...

- Dia 25 nós tivemos o almoço Natalino, também na casa da minha irmã mais velha com muita fartura. Cada um fez uma coisa e assim não ficou pesado pra ninguém. Eu me encarreguei obviamente da minha famosa Picanha no alho. Foram 2 peças e todos comeram que foi uma maravilha!...
Além do ótimo almoço e de estarmos (quase) todos juntos [meu irmão e sua família não estavam presentes], eu aproveitei o dia além de especial: eu e Amore comemoramos 11 anos juntos no dia de Natal, para perguntar a Rorrô se ela queria ser a madrinha do nosso filho.

Rorrô é como uma 2a mãe para mim. Ela me conhece desde o dia que eu nascí e os filhos gemeos dela : Tiki e Mico são somente um mês mais velhos do que eu. O Tchê, marido dela que é Holandês, era médico no hospital em Belém e estava presente no parto (cesareana) quando eu vim ao mundo. A minha vida toda eu os tive ao meu lado, até mesmo na nossa vinda conjunta pra Holanda. Então ontem eu e Amore preparamos uma surpresa pra Rorrô e com um bouquê de flores enorme na mão e um anjinho escrito "madrinha", nós perguntamos se ela queria ser a madrinha do nosso filho.
Rorrô, depois de passado o primeiro choque caiu num choro e o resto da família foi junto... Eu mesma já estava chorando no momento que eu abrí a boca pra dizer a primeira palavra!...

Depois da comemoração na casa da minha irmã, foi a vez de irmos à casa dos meus sogros e lá, Amore também perguntou pro (único) irmão dele de forma surpresa se ele queria ser o padrinho do nosso filho. Emocionado o Ed falou que esse tinha sido o melhor presente de Natal que ele poderia ter recebido e ficou super-feliz...

Enfim, esse Natal foi muito especial para todos nós. Foi emocionante, carinhoso e inesquecível.
Ficam aqui 2 fotos especiais como lembranças desse dia...


Nós e a Rorrô


Nós e o (tio) Ed

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Feliz Natal à todos!



À todos,
Muitas felicidades, saúde, paz e amor!
Que você(s) possa(m) dividir esse dia tão especial ao lado de quem você(s) ama(m) e que acima de tudo, sejamos gratos por tê-los em nossas vidas!
bjs,

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Desvaneios soníferos

É sexta-feira, véspera de 2 semanas de férias. Amém!

Ainda tenho que comprar uns 3 presentes de Natal e espero terminar a sina essa noite. Por incrível que pareça, esse ano até que não foi tão caótico como nos anos anteriores.
A única coisa que tá pesando mesmo agora é a barriga e o trabalho.
Estou tendo dificuldades em me concentrar no trabalho e terminar as minhas tarefas, mas eu já entendí que o meu “problema” agora é hormonal.
Não adianta eu lutar contra que só piora a situação, isso eu já entendí. Mas, que é um saco, ah, isso é!...

Outro dia acordei chorando horrores. Não me perguntem o porquê, mas eu soluçava e não conseguia parar e assim, completamente sem motivos.
E os sonhos / pesadelos? – Noite passada eu sonhei que tinha 8 filhos!!!! E que colocava eles no mundo como se estivesse espirrando! Parecia tão real que acordei APAVORADA e suando frio!
E eu tenho cada sonho estranho... Já sonhei com pulgas, carrapatos, sangue e mais uma série de coisas sem nexos. E todos parecem realíssimos.
Já fui até pesquisar os significados no Dicionário de Sonhos e sempre sai coisas como “Um grande segredo será revelado você!”, “doença e irritações menores”, “necessidade de enfrentar problemas do passado” e etc. Nunca me dizem que vou ganhar na loteria ou algo assim!...

Enfim, se alguém souber de alguma dica de como evitar sonhos malucos, favor me dizer! Minha mente agradece desde já!...

Fui e um bom finde para todos!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Respondendo perguntas...

- Quais são as últimas da gravidez?
Fomos na quinta passada na obstetriz. Como já comentei no post anterior, o bebê já está em posição. A parteira não esperava isso, por que aconteceu mais cedo do que o previsto, mas disse que não há motivos para preocupação. O bebê está bem e o importante agora é descansar o máximo possível.

Fora isso, a minha pressão estava um pouco alterada para as minhas normas, mas também nada para ficar alarmada. Pressão é algo que se altera facilmente, basta subir escadas. No final da consulta ela mediu a pressão novamente e esta já tinha se normalizado. Provavelmente na visita da semana que vem (a partir da 30 semanas as visitas passam para cada 2 semanas) eu vou ser indicada para um fisioterapeuta por causa de “bekkeninstabiliteit” (instabilidade da bacia).

Nesta quarta-feira vamos na noite de informação no hospital. Teremos uma visita guiada pela secção de maternidade e receberemos explicação de como é que eles funcionam. Por um lado, eu acho que tenho “sorte”, por que o hospital da minha região foi o 2º colocado entre os 100 hospitais na Holanda e espero que com isso eu escape de um péssimo atendimento como o que a minha irmã Kika sofreu no hospital de Leiderdorp (nr 70 da lista) quando ela teve o meu sobrinho...

- E o trabalho?
Na semana passada tive 2 dias brabos e acabei tendo um piripaque no trabalho.
Ao invés de estar finalizando e transferindo as minhas atividades para os outros, tinha gente querendo me passar mais trabalho.
Durante a reunião de equipe eu perguntei se alguém alí pensava que a minha barriga era de cerveja e não de gravidez?

Na minha área de trabalho eu sou (quase) sempre a única mulher da equipe e é uma raridade eu ter uma colega mulher na mesma área. Dito isso, se eu dividir os meus colegas em grupos, eu posso dizer que 30% são pais (ou seja, já tem pelo menos uma experiência com mulher grávida e tem, no mínimo, um certo nível de informação sobre gravidez), outros 30% tem namorada/mulher, mas não tem filhos por escolha própria ou não (esses não tem experiência com mulheres grávidas, mas também não são completamente leigos) e os outros 40% são “nerds”, sendo que uma boa percentagem deles nunca sequer tiveram uma namorada e são anti-sociais, imagina o que é para eles tentarem entender o que se passa com uma mulher grávida!?
Por causa disso, às vêzes, é um grande desafio se dar com a maioria desses meus colegas sem que eu precise dar detalhes da gravidez, da minha intimidade ou sem parecer que eu estou colocando a gravidez como obstáculo no meu trabalho.

No final das contas, eles riram (bastante) da minha pergunta e eu expliquei que os prazos do projeto podem mudar como eles quizerem, mas que eu não tenho como mudar o prazo da gravidez. Além do mais, eu só trabalho mais 3 semanas e não seria muito inteligente me passar novos trabalhos que eu não tenho como terminar antes de sair de licença.
No fim, eles entenderam o recado e uns acharam engraçado como eu encarei a situação.

Além disso, eu passei a trabalhar 1 à 2 dias por semana de casa. Isso sim é tudo que eu precisava! É beeeem mais tranquilo e agora eu consigo descansar mais de manhã! Sem falar que eu não perco mais 2 horas de “viagem” de ida e volta do escritório.
Tenho consciência que isso só é possível por questões de confiança, senão eles não me dariam essa liberdade. E não dá pra imaginar a minha gratitude nessas horas (e durante essas manhãs!)...

- Como vai o quarto do bebê?
As paredes foram todas rebocadas perfeitamente por Amore. Até ele se surpreendeu com o resultado do seu próprio trabalho. Além disso, já está tudo pintado. Semana que vem, quando ambos entramos de férias por 2 semanas, ele irá colocar o laminado.
Os móveis do quarto ainda não foram entregues, mas ainda estamos no prazo.
Esperamos recebê-los até o início de janeiro!

Falta agora achar o pano para as cortinas. Vimos um, mas achamos o preço absurdo (40€ o m2), por isso teremos que ir a caça de outro. O bom é que a minha sogra se ofereceu para fazer as cortinas e como eu sei que “não basta ser vó, tem que participar”, ela irá fazer as cortinas com o maior prazer e orgulho. Sem falar que o trabalho dela de costura é perfeito. Então agora só falta achar o pano!..

- Como vai os preparativos para o chá de bebê?
Tudo sobre controle! A Cris se candidatou agora a organizar o resto, mas até onde eu pude facilitar, eu fiz. Somente 2 convidadas queridas não estarão presente: a Bia e a Marcita. Mas, todas as outras confirmaram a presença.
O “menu” para o dia também já está pronto e a minha irmã mais velha e a minha mãe irão me ajudar. Já estou até sonhando com as esfirras da minha mãe! Ai ai ai!

Fora isso, eu convidei a minha sogra, cunhada e avó (que será bisavó) para o chá de bebê. Como a minha sogra e (bis)avó não queriam saber o sexo do bebê até o nascimento, eu coloquei a decisão nas mãos delas, já que se elas vierem à festa elas com certeza ficarão sabendo o que será.
A minha sogra não quer perder o evento de jeito nenhum. Na verdade, ela ficou super-entusiasmada com a idéia e de acordo com ela, ela pelo menos conseguiu aguentar a curiosidade até um mês antes do bebê nascer. Então, ela virá. Só não sei agora se a (bis)avó virá ou não... Veremos!

E os cartões de nascimento?
Enfim, busquei os catálogos de amostra numa gráfica perto de casa que abria ½ hr mais cedo.
Dessa vez a escolha do cartão não foi tão fácil como o convite de casamento.
No final das contas, acabei cedendo a escolha de Amore. Ultimamente até parece que eu sou uma pessoa fácil, por que ando cedendo tudo facinho, facinho!... Na verdade, eu estou deixando para discutir minhas opiniões para assuntos realmente importantes...

Mas, voltando a falar do cartão de nascimento tradicional Holandês, para quem não sabe, o cartão deve ser imprimido e enviado de preferência no dia do nascimento ou um dia após. Na regra geral, você escolhe um cartão na gráfica, manda encomendar a quantidade que você acredita que enviará e faz um “cartão teste” com antecedência com a parte do texto que não mudará mais. O texto do cartão de nascimento pode ser dividido em 2 tipos: o variável e o fixo. O variável são os detalhes como o nome do bebê (que é surpresa até o último momento, se lembram?!), o dia e hora que nasceu, o peso e o tamanho do bebê. O texto fixo, você pode determinar com antecedência que são na maioria das vezes um versinho para expressar a felicidade do nascimento do novo membro da família, as horas que não se deve ligar por que mãe e bebê descansam e os contatos (end. + tel) caso a pessoa queira fazer uma visita. Esse você já deve ter definido quando fizer o cartão-teste.

No dia que o bebê nasce, o pai liga para a gráfica (em horas de trabalho) e dá os detalhes do (nascimento) do bebê. Se os dados forem passados até +/- 15hrs da tarde do mesmo dia do nascimento, os cartões são imprimidos imediatamente e podem ser enviados recém-saídos da máquina pelo correio.

Aqui vão dois exemplos de cartões de nascimento de bebê e não, não é nenhum desses o que nos escolhemos! ;)





Fui!

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

3a carta

Filho,

Tia Bia, grande amiga da sua mãe, sempre disse que a sua mãe é “que nem peru de Natal que morre de véspera”. Ela diz isso, por que eu sempre me preocupo com tudo e com todos os detalhes já com bastante antecedência.
Além disso, eu sou apressada, mesmo quando chego atrasada! Isso por que eu sempre tentei fazer tudo e mais um pouco e o mais certo possível - sozinha... Na regra geral, a sua mãe não gosta de pedir ajuda para outras pessoas, por que ela não gosta de dar trabalho pra ninguém. Esse é o meu gênio, filho!

E ontem, quando estávamos na obstetriz, ela me disse que você já estava em posição certa para o parto. A notícia foi como uma faca de dois gumes. Primeiro por que ainda é cedo (demais) para você estar na posição certa, afinal nós ainda estamos na 30a semana da gestação (6 meses e meio) e isso pode ser motivo de cuidados extras. E por outro lado, a parte boa foi que se você já estava na posição certa, que há grandes probabilidades de você nascer nessa posição. E sim, sua mãe tem preferência de ter você por um parto normal, por que ela sabe que isso é o melhor pra você (mesmo que não seja pra ela...).
Mas, filho, de todas as características de sua mãe, ela pede para você não puxar o lado “Perua de Natal” dela, nem para que você se apresse a vir ao mundo!

Nesse ponto, mamãe gostaria que você puxasse o seu pai. Ele faz parte do clube dos 4,5% que nasceu no dia previsto. Seu pai sempre foi pontual e a sua mãe adora essa característica dele! E já que você está puxando tantas características do seu pai, o que custa puxar mais essa?...

Enfim, o que eu quero dizer, filho, é que você não precisa se apressar a vir ao mundo. Você ainda terá todo o tempo do mundo para descobrir o que há do lado de cá e a gente descobrir quem você é...

Beijos,

Sua mãe.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Coisas de uma vida na Holanda

Ninguém espera que, num país que se considera de primeiro mundo como a Holanda, o mercado ou o atendimento ao cliente seja tudo menos “klant georienteerd” (orientado ao consumidor). Um dos exemplos mais recente disto é o seguinte caso:

Na Holanda há uma tradição de enviar cartões de bebê anunciando o nascimento do seu (sua) filho (a) para Deus (que já deveria saber dos detalhes) e o resto do mundo. Até aí, tudo bem, por que eu até gosto da tradição dos cartões da Holanda (aqui se manda cartão para tudo!).

E para não fugir dessa tradição, mulher tradicional que sou, fui à procura de uma gráfica pedir informações e amostras de cartões de bebê, por que como se sabe tudo aqui tem que ser encomendado e decidido à tempo. E aí é que vem o ‘problema’: as gráficas só trabalham das 9hrs à 17hrs – de segunda à sexta. Eis que se você trabalha 40hrs como eu e o meu marido e ainda tem que sair cedo de casa para chegar no trabalho na hora certa, você nunca terá tempo para ir na gráfica no horário que eles estão disponíveis. Não há “koopavond” (uma noite que eles estejam aberto até mais tarde) e nem um sábado de manhã. E como só é prático eu mandar fazer os cartões numa gráfica perto de onde eu moro (e não onde eu trabalho), eu sou obrigada a pegar horas de folga no trabalho para organizar esses pequenos detalhes, que na verdade, poderiam ser muito bem resolvidos em horário privado.

Agora eu entendo por que muitos Holandeses preferem trabalhar 4 dias por semana, por que só assim eles conseguem cumprir com outras obrigações ou tarefas como essas e ainda ter um tempo de folga pra sí mesmo no fim de semana. Vejam que se o comércio tivesse um horário mais liberal, mais empregos seriam gerados, mais djin-djin no bolso, mais compras, menos desempregados! No final das contas, seria melhor para a econômia e melhor para o país. Sei que é simplista pensar que seria fácil assim, mas no básico, é assim mesmo que funciona, porém na Holanda existe um aspecto cultural que ímpede o funcionamento deste mecanismo econômico. Holandês, na regra geral, ou não é ambicioso ou só vê o trabalho como uma obrigação e por isso, não dá um passo além do que ele tem vontade e não está nem aí para o velho ditado: “O cliente é rei”.

Todos os fins de semana o meu sábado rola em torno de compras de supermercado, correio, compras relacionados à outras ocasiões (aniversário, Natal, quarto do bebê, etc...) e é aquele verdadeiro corre-corre, por que se eu não fizer naquele sábado talvez eu seja obrigada a deixar para o outro sábado ou fazer alguma loucura durante a semana para cumprir com essas tarefas. Leva-se em conta também que eu moro numa tribo – à 10kms de uma cidade grande (Den Bosch), mas que ainda não é Rotterdam ou Amsterdam onde, pelo menos, as lojas abrem todos os domingos! Então, os meus sábados são sempre corridos e cheios de coisas pra fazer, junta-se ainda mais uns eventos de ordem social (nivers, jantares e outros eventos) e já dá pra dar uma boa idéia de como eu estou só os trapos no domingo, dia que, por sinal, eu tenho que lavar roupa, limpar a casa, limpar os banheiros e se puder, cozinhar bastante para colocar no freezer para não passar horas na cozinha durante a semana.

Arg... e na regra geral, a gente dá conta de tudo, por que como eu já disse antes, meu marido ajuda bastante, mas quando chega o fim de ano, vira uma loucura total! Além das compras natalinas que são sempre feitas de última hora (falta de tempo, obviamente!), eu ainda me dou o trabalho de escrever trocentos cartões e cartas com fotos, por que muitas vezes essa é a única ocasião que eu mando notícias e foto, também em nome da minha mãe, para os amigos e familiares que vivem distantes.
E gente, eu nem montei a minha árvore de Natal ainda! (vai ficar para o próximo domingo). Sinceramente, eu ainda não sei como eu vou fazer para dividir o meu tempo com as horas (e o frenezi) do comércio e todas as minhas outras tarefas.

E apesar dessa loucura toda (até parece que eu sou uma galinha estressada), eu sei que daqui a 2 semanas eu terei 2 semanas inteiras de folga e vou poder rolar de um lado pro outro, me refestelar e não fazer nada!

Pensar em ir na gráfica então? Não vai rolar. Eles também vão fechar por 2 semanas... :S

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Dicas para (futuras) grávidas:

Seguro de saúde: diferenças entre o “Basis” (Básico) e o “Aanvullende” (Complementar)

- O seguro básico só dá direito de parto no hospital por indicação médica durante a gravidez ou durante o parto em casa devido à complicações.

- O seguro complementar (aanvullende) cobre a escolha do parto no hospital. Além disso, em situações de doença, o seguro também dá mais direitos a tratamentos (inclusive diferente remédios), que não são oferecidos no seguro básico.
Fora isso, o “Kraamzorg” (cuidado após parto) que toda a mãe tem direito à 8 dias, incluí uma tarifa “Eigen bijdragen” (custos próprios) por volta de 3,80€ por hora. Através do seguro complementar o cliente tem direito de receber entre 50% à 100% de volta deste valor. A percentage que você tem direito de receber de volta depende do seu seguro.

Anestesia:
Como eu já comentei antes agora é o direito da mulher ter anestesia no parto desde que este seja feito num hospital. Essa é a nova diretriz imposta pelo NVGO.
Além disso, grande parte dos hospitais irão ou já adotaram o método APAD (Acoustic Puncture Assistance Device) para aplicação da Epidural que garante menos chances de erros. O método já utilizado desde 2007 no Hospital Jeroen Bosch in Den Bosch é um grande sucesso e os dois anestesiologistas deste hospital que inventaram o método também ganharam o prêmio Inovação em 2007.
Informe-se, caso isso lhe interesse, se esse método já é disponível no hospital da sua região.

Hospital:
Caso vc escolha ter o seu bebê num hospital – vc pode indicar o hospital de sua preferência/escolha a sua obstetriz. Além disso, hospitais oferecem em média uma vez por mês uma “visita guiada” nas secções de ginecologia, maternidade e obstetria. É uma noite de informação onde vc pode fazer perguntas sobre os detalhes e procedimentos durante o parto e pelo menos, um ginecologista está presente para responder as suas perguntas.
Essas noites são gratuiítas e anunciadas nos websites do hospitis. Na regra geral, futuras mamães e parceiros são bem-vindos a essas sessões a partir da semana 27 da gravidez.
Mesmo que vc planeje ter seu bebê em casa, vale à pena ir na noite de informação do hospital caso vc tenha que ir parar no hospital.

Importante mencionar que indicar um hospital de sua preferência não é garantia que vc irá parar lá quando a hora do parto chegar. Isso vai depender se o hospital ainda tiver capacidade disponível. Se não tiver, vc será direcionada para outro hospital que tenha.

Outra dica: em agosto de 2008 saiu o resultado da pesquisa dos melhores hospitais da Holanda no TOP 100.
Os hospitais levam bastante a sério essa pesquisa que é feita em média 1x por ano e tomam decisões à curto prazo para melhorar.
Nos websites dos hospitais há “updates” frequentes das melhoras feitas pelos mesmos. É sempre bom, por isso, olhar a colocação do seu hospital (ou os hospitais da sua região) e verificar que melhoras foram feitas. Além disso, vc pode usar essa informação para perguntar durante a noite de informação que mudanças eles fizeram para melhorar, caso vc tenha alguma dúvida.

Direitos determinados por lei:
Se vc trabalha (independente do nr de horas) vc tem direito à “zwangerschapverlof” (licença à maternidade). Recentemente a lei também se aplica a mulheres que são donas do próprio negócio.
A lei determina que toda a gestante tem direito à 16 semanas de licença. Por lei a mulher pode parar no mínimo 6 semanas, no máximo 4 semanas antes da data prevista do nascimento do bebê. Se a mulher tentar trabalhar além das 4 semanas determinadas por lei, se descoberta, a empresa será multada.

Depois que o bebê nasceu, a mãe tem direito ao restante da licença 16- 4= 12 semanas após o parto.

Durante esse período a mulher tem direito a um “uitkering” (WAZO e ZEZ para as independentes), que também é válido em caso de adoção. O valor do “uitkering” depende do seu salário. O valor máximo – em proporção ao seu salário – pode chegar à 179,90€ (dagloon) por dia.

No momento o governo Holandês está discutindo a possibilidade de aumentar a licença a maternidade de 16 para 18 semanas.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Há!... Perdí o corpo, mas não os neurônios!

Okei, os 3 dias de curso passaram.
No final do terceiro dia, na beira de esgotamento depois de 2 dias ainda estudando e respondendo e-mails do trabalho até 23hrs da noite, eu fiz o exame de 75 perguntas e terminei 5 minutos antes de terminar o tempo. Já estava suaaaando! Mas, passei com ponto sobrando.

Daqui algumas semanas eu recebo mais um diploma para o meu currículo e dessa vez, será de PRINCE2 - metologia de projeto. Diploma obrigatório no currículo da empresa e também para quem quer ser líder de projeto.

Por mais que eu não tenha ambições nessa direção, só o fato de ter o diploma e colocar no currículo, já enriqueceu o meu cv.

Nisso um colega meu me pergunta se eu não tenho/conheço limites: faço 2 projetos, curso, estudo pra provas e já estou beirando o 7o mês de gravidez e ele me pergunta o meu segredo?

Muita força de vontade e um marido que me apoia 200% (in)diretamente. (Ele cozinha, lava, passa, faz de tudo em casa - deixando tempo pra eu estudar/trabalhar). E fica sinceramente feliz com cada conquista alcançada.
Eu sei que sem ele, eu também chegaria aos meus objetivos, mas que ele facilita, ah! isso com certeza ele facilita! E como!...

Nesse caso ele me lembra aquele velho ditado: "Atrás de uma grande mulher (no tamanho!), existe um grande homem!" ;)

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Zzzzeeeem tempo

Estou num curso de 3 dias. Geralmente, cursos são para mim dias de trabalho "fácil". É menos estressante, a carga horária diária é mais curta e a única coisa que eu preciso fazer é voltar a ser uma boa estudante e prestar atenção na aula. Mas, dessa vez vai ser diferente.
No final do curso, ou seja, amanhã, eu terei um exame de 75 perguntas pra fazer em 1 hora.
Afff! Essa eu não esperava e agora eu ainda tenho que chegar em casa e estudar hoje à noite para ver se eu passo na prova amanhã!

E eu já disse aqui que ando com um zzzzzzono?!....zzzzz!

domingo, 30 de novembro de 2008

AHA!!!! Saiu!

Agora é oficial!

Dia 27/11/2008 - "Nederlandse Vereniging Voor Obstetrie en Gyneacologie."
"Para todas as mulheres grávidas 'tem que ter - dia e noite - uma forma adequada contra dor de parto" -

A pedido da mulher, é obrigado oferecer a paciente a melhor forma de medicamento contra a dor. A forma mais efetiva é a 'ruggeprik' (epidural).


Segue aqui o link para o artigo retirado do site do "Orgão Holandês de Obstetria e Ginelecologia". Ou seja, pelos "profissionais" e agora nenhuma "parteira" pode vir com estorinhas estuperfadias sobre o "vínculo da dor com o amor pelo seu/sua filho (a)!

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Na Crise... do Facão

Aqui na empresa também já começaram com o facão. Em todos os setores da empresa eles já mandaram os “externos” embora e agora começaram com os “internos”. Num dos setores 300 gerentes e manda-chuvas estão sendo mandados embora, no outro setor, estão mandando um bando de empregados da produção.

No setor em que eu trabalho, os externos também estão sendo/foram cortados. Além disso, o “budget” (orçamento) para os projetos de 2009 foi diminuído para 1/3 do valor original e todas viagens foram “cortadas”.

O maior medo agora é que a crise – que já está sendo considerada mais grave do que as de 2001-2003 e de 1992-1995 – venha ser ainda pior do que a de 1930.
E os especialistas dizem que “se chegarmos ao nível da crise de 1930 – todo mundo que tiver emprego já deve dar Graças à Deus, mesmo que isso signifique ser garí”.

Eu já passei por “facões” no passado. Um deles foi logo no primeiro emprego numa empresa de consultoria, onde eu era junior e uma das últimas a serem contratadas num grupo de 5. No final das contas, só eu fui “salva” dos 5, mas o clima na empresa ficou horrível! Sendo que isso é inevitável...

Também não faz nem 2 semanas atrás que eu recomendei um junior pra empresa Americana de Consultoria onde eu trabalhei e onde ainda tenho bons contatos. Com o currículo dele, em circunstâncias normais, ele teria sido chamado com facilidade, mas acabou sendo rejeitado.
De acordo com eles, eles também tiveram que “dificultar” o processo seletivo de novos empregados por causa da crise, mas através de outras fontes eu fiquei sabendo que eles não estão mais admitindo ninguém, já que todos os clientes estão cortando os projetos e mandando todos os externos de volta para suas “casas”.

É!... algo me diz que essa crise ainda vai piorar mais, por que o efeito “bola de neve” ainda não chegou ao seu auge...

Affff! Que notícia mais depré para se ouvir em plena sexta-feira, nénão?!...

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Quantum of Solace

Okei, eu ví!!!



É um filme de ação e muitos críticos andam comparando com o estilo do "Bourne" série, já que tem muita ação, pouco (ou nada) de humor e sem romance. Mas, se for essa mesmo a comparação a ser feita, eu não acho então que seja ruim, por que eu também gostei dos 3 filmes da série do Bourne!

Além disso, esse filme é uma continuação de onde parou o "Cassino Royale" que é a busca da vingança. E sinceramente, não dá pra colocar romance e humor num tema de vingança e ainda parecer convincente. E é dentro desses parâmetros que o filme se desenrola. E pelo menos assim, o carácter do Bond continua em sequência do filme anterior, o que eu achei muito bom.

Enfim, muita gente falou/criticou que sentiram falta dos "gadgets", da famosa frase: My name is Bond, James Bond, e de outros pequenos detalhes, mas querem mesmo saber do que eu sentí falta nesse filme???...
*
*(tempo para pensar!)
*
Dele não ter aparecido de sunga ou "pelado" como da outra vez!... Isso sim, fez falta! Hohoho! ;)

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Update: anestesia no parto

Okei, depois da 'dica' da Alice, eu fui pesquisar na internet sobre os direitos da mulher à anestesia durante parto.

Achei informações interessantes (e importantes) sobre esse assunto e venho aqui fazer um update:

Em primeiro lugar, voltando ao post sobre quem decide se a mulher recebe ou não anestesia durante o parto. Como eu disse, a obstetriz me disse que a decisão é "deles" (e não minha!) sobre a aplicação de anestesia. São eles que decidem se eu vou dar ou não conta do "recado" (dor). E é isso que me irrita!
Eu nunca disse que eu vou querer anestesia na hora do parto, mas eu quero ter a opção e sendo eu a "paciente", sou EU que devo decidir e não ELES, já que eles não sente o que eu sinto!

Mas, foi Graças à Dra Alice (essa Alice!!!! :)) que eu fiquei sabendo sobre a nova direção que os profissionais e hospitais deverão tomar nessa área. Desde fevereiro deste ano foi lançado o novo "Richtlijn op pijnbehandeling tijdens bevalling" (veja aqui: http://www.trouw.nl/nieuws/nederland/article1784414.ece - artigo é em Holandês) onde falam que a mulher terá o DIREITO de escolher um parto sem dor, desde que seja feito num hospital! (Só não sei ainda se essa regra já é válida ou ainda deve ser aprovada!)

Quem lê este artigo verá que: metade dos hospitais Holandeses não têm anestesistas presentes (só em caso de vida ou morte) nos hospitais durante a madrugada e os fins de semana! Isso é um dos motivos pelo qual, partos (que não são considerados casos de vida ou morte) são efetuados sem anestesias em sua grande maioria! O conselho agora é que todos os hospitais Holandeses tenham anestesistas 24hr 7 dias por semana à disposição! (o que aumentará mais os custos ainda!)

Os outros 2 motivos citados são que na Holanda (ainda) existe a opção do parto em casa. Em caso de parto caseiro nunca haverá a aplicação de anestesia, por que parteiras não são autorisadas para isso e o seguro não cobre! Segundo motivo por que (de acordo com as parteiras!!!) a dor do parto é bom para unir os laços de mãe e filho! Já foi comprovado em outra pesquisa que isto é fábula e que o efeito é justamente ao contrário! Que devido a dor e as consequências do parto (alguns chamam “casos de açougueiros” - cortes, empurrões na barriga, bomba vacuum, etc)

A mãe acaba se “afastando” do filho! E venhamos e convenhamos, a mulher já carrega o filho no ventre durante 9 meses, é a única a sentir o bebê se mexer dentro dela, como podem pensar que a dor de parto faz a mulher a ter laços mais fortes com o(s) seu(s) filhos??! E os pais que nunca sentem nada e nunca sentirão – são “desnaturados”??! Ou seja, nenhum homem vai ser um bom pai no mundo inteiro por que eles nunca sentirão na pele uma dor sequer do filho!

Quem é agora, a pessoa ‘retardada’ da história?

E parteiras desaconselham tb o uso de anestesia por que é melhor para a mulher e para o bebê, por que (como tudo na vida!) a anestesia traz riscos no uso dela. Detalhe é que também já foi comprovado que partos loooongos e dores prolongadas também trazem riscos à vida do bebê como a diminuição da circulação sanguínea no útero.
E outro pequeno detalhe é que a Holanda é ainda o único país onde a essa idéia/concepção sobre anestesia durante o parto ainda é motivo de discussão!

Terminando esse relatório looongo sobre a opção de anestesia durante o parto, eu só queria dizer que toda essa informação não é simplesmente baseada na minha opinião, mas sim, um resumo traduzido dos artigos da Elsevier e do Jornal Trouw, mas quem Googar “Recht op ruggenprik tijdens de bevalling” verá uma lista de fontes de informação sobre esse assunto, assim como discussões dos próprios Holandeses em forums com esses tópicos.

Artigo da Elsevier: http://www.elsevier.nl/web/laatste24uur/richtlijnmoetrechtopruggenprikvastleggen.htm

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Respondendo perguntas...

- Já escolheram o nome do bebê?
Acho que posso dizer com 98% de certeza que temos o nome! O restante 2% é se bater a loucura e de última hora acharmos que o menino tem cara de Barack e a gente resolver mudar o nome! ha ha!

- Vão dizer o nome do bebê antes de nascer?
Não. À pedido do meu marido, não íremos falar antes do bebê nascer. Essa é, de todas as nóias Holandesas, a mais fácil de ser respeitada (por mim). E por um lado eu também acho legal por que fica a surpresa até o final. Sem mencionar a vantagem de evitar mais pitacos de gente que acha que a gente deveria mudar o nome e fica dando sugestões totalmente sem cabimentos!...

- Quem escolheu o nome?
Eu ví o nome num cartão no consultório da obstetriz, mas não falei nada. Fiquei em pensamento... Amore viu o mesmo cartão e disse que gostava do nome. Perguntou o que eu achava... Disse que era um caso a pensar... Tinha dias que eu concordava, mas tinha dias que eu mudava de opinião rapidinho, mas eu acho que agora acostumou... No final das contas, foi Amore que escolheu e eu acabei cedendo.

- E o sobrenome?
Algumas pessoas sabem que quando eu casei, eu não adicionei o nome do meu marido ao meu ou vice-versa. Ele disse que eu já sou a minha vida inteira "o nome" que eu carrego e que ele não se importaria de eu não querer mudar. Eu realmente também nunca quiz mudar o meu sobrenome, por isso, casamos, mas mantemos os nossos nomes iguais como quando éramos solteiros.

Agora com o nascimento do nosso primeiro filho, nós temos que escolher um dos dois sobrenomes para dar ao filho. De acordo com a lei Holandesa nós não podemos colocar os dois sobrenomes na criança. Tsja! Mais uma nóia sem lógica pra coleção! Mas, tudo bem, Amore quer que leve o sobrenome dele. Por mim, tanto faz, como tanto fez.. Não é o nome que vai dizer se é meu filho ou não. Sou eu que o carrego no ventre, então pronto. Não seremos menos família por causa disso!

- Com quantas semanas/meses estais agora?
Estou com... 27 semanas, ou seja, no início do sexto mês.

- Você fez ou vai fazer a ecografia 3D?
Não, não quiz. Fiz a ecografia de 20 semanas e quando a "dotôra" disse que era saudável, já era o suficiente pra mim.

- Qual a data prevista do bebê nascer?
De acordo com os cálculos da obstetra, dia 19 de fevereiro. Mas somente 4% dos bebês nascem na data prevista. Algo me diz que, se tudo continuar dando certo, ele vai nascer depois dessa data... Detalhe é: que já vou deixar avisado a família, ainda mais a minha sogra, que não adianta ficar me ligando diariamente perto da data pra perguntar se já nasceu ou não. Será que não é óbvio que quando nascer a gente vai avisar??!
E sim!... Eu sou chata!!!

- E como vai o bebê?
Vai bem, fomos hoje na obstetriz. E eu levei um susto enorme quando subí na balança. Até agora eu estava "engordando" de acordo com o "recomendado", mais ou menos 1 quilo cada 4 semanas, mas dessa vez, engordei 2 quilos e 800 gr., ou seja, quase 3 quilos em 4 semanas!!! Fiquei horrorizada, por que não tenho comido horrores! No jantar, eu, às vezes, deixo a carne pra Amore, por que depois de 2 pedacinhos, já me bate um peso no estômago. Sem falar que não tenho repetido meus pratos, mas de acordo com a obstetriz, o motivo do meu aumento "inesperado" foi um "groeisprong" (um pulo no crescimento) do bebê. Ela tirou a medida e confirmou que ele é "grandinho"!.
Oh céus! Desde o início, eu digo pra Amore que eu tenho um "voorgevoel" (prevejo) um bebê grande. Acho que ele vai nascer entre 50 à 54 cms, mas Amore disse que eu já errei antes nas minhas premonições, e quem sabe ele está certo...
Então, veremos, mas que dá um certo medo de ter um bebê (muito) grande, ah, isso dá!!!...

- Vais querer anestesia durante o parto?
Perguntei hoje a obstetra como é decidido a questão da anestesia. Ela explicou que há 2 tipos: uma que se leva na perna à base de morfina ou então a famosa "ruggenprik" (epidural). Na Holanda, eles tendem a tentar ter o maior número possível de partos normais sem anestesia. De acordo com eles, é melhor para mãe como é melhor para o bebê. Isso, no entanto, não quer dizer que eles não aplicam anestesia durante o parto. São eles (as obstetrizes e/ou ginecologista) que decidem se vc precisa e qual delas deve ser aplicada. Ou seja, a decisão oficial não é minha, mas eles, obviamente, consultam o paciente sobre a aplicação. Se for decidido que eu preciso de anestesia, nesse caso, o parto será feito pelo ginecologista e não por ela(s).

Depois da informação ela me perguntou se era isso que eu "esperava". Disse pra ela que era isso que eu esperava e sabia da Holanda, mas que a Holanda é o único país a manter essa idéia, ao contrário de todos os outros países Europeus (inclusive, a Bélgica que fica aqui na esquina da Holanda). Não discutí com ela, não dei sermão, falei tranquila, apesar de não concordar com essa mentalidade, sei que não é ela que vai mudar...

Amore que me acompanha em todas as consultas, não falou nada, mas ele sabe que eu sou chata (exigente) pro sistema médico Holandês. E não adianta, sei às vezes que a maioria das medidas Holandesas são baseadas em estatísticas, mas por mais que as estatísticas estejam certas, quando é vc ou alguém que vc ama que está sofrendo, vc não quer ser tratada como um número da estatística, mas sim, como gente!...

De fato, eu não entendo como pode um país aceitar & legalizar o uso de drogas-"leves", se todo mundo sabe que isso faz super-mal a saúde, mas não aceita o uso de anestesia seja num parto ou no dentista!???... E por falar em dentista, eu nunca vou me esquecer que me EX-dentista não queria me dar anestesia enquanto ele furava o dente e eu já estava morrendo de dor!

Ele disse: "Anestesia diminui os anos de vida"...
Eu: Ah éh?! Mas se eu sair do seu consultório e for atropelada por um ônibus, pelo menos, eu morrí anestesiada!...


Sério, como pode?! Eita, povin estranho!

- E como você se sente?
Me sinto bem na medida do possível. Sofro de alguns males da gravidez, mas não adianta eu ficar reclamando. Cansaço é algo que bate e eu preciso realmente de um dia por semana, como o domingo, para relaxar. Senão eu não aguento a semana de trabalho.
Eu continuo com 2 projetos, inclusive, o capenga, mas aprendí a me "desligar" mais dos problemas e estresses. Tento, quando eu posso, trabalhar de casa (como hoje!), dá pra dormir até mais tarde e ter um dia mais sossegado. Isso ajuda!
Também conseguí pessoas para me ajudar e assim não fica tudo nas minhas costas.
Na época do Natal, terei 2 semanas de folga e depois disso eu só preciso trabalhar mais duas semanas para entrar de licença. Irei parar de trabalhar 5 semanas antes da data prevista do bebê nascer.

- Vai fazer chá-de-bebê?
Vou, já marquei a data e eu só espero que eu esteja me sentindo bem até lá! O quarto do bebê também deverá estar pronto, já que estarei fazendo em janeiro. Serei a primeira da família a fazer chá-de-bebê, acho que vai ser algo bem legal pra minha família também! :)


Enfim, se eu esquecí de alguma pergunta, mande lá que eu tentarei responder! ;)
Fui e bom-finde à todos!

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Diálogos...

1o causo:
Cunhada: Ah... mulher quando engravida tem que largar tudo (carreira) e ficar em casa com o filho. Quando eu engravidar, vou largar tudo e virar caixa do AH por umas horinhas...

Eu: olha, nada contra ser caixa de supermercado, eu mesma já trabalhei em limpeza uns 7 à 9 anos da minha vida. Maaaas financeiramente falando, ter filho significa também mais gastos, se vc largar o seu emprego que paga razoavelmente bem pra um que só paga metade (no máximo!) do que vc ganha hoje, vai aumentar a pressão e o estresse do seu namorido para conseguir arcar com todas as contas, inclusive as das fraldas do bebê e hipoteca... E eu não sei quais são as oportunidades do E. subir de mecânico para outra posição, mas me parecem limitadas... sem falar na crise que já está afetando o setor automobilístico.

Cunhada: ah! Mas a gente dá um jeito... Se for o caso, a gente pede ajuda (financeira)para os avós da criança...

Eu:...(levando tapa na testa!)...


PS: Eu não entendo, acha errado ter filho se é pra colocar na creche e trabalhar, mas não acha errado ter filho e depender financeiramente dos pais ou sogros...??!

2º causo:
Sogra da minha irmã falando p/ minha irmã: Você trabalha 3 dias e ainda está escrevendo a sua tese de mestrado, é muito! Pra que precisa trabalhar tanto e pra que serve a carreira quando se tem filhos?...
Sogro para sogra: É por isso que vc ainda sofre de depressão... Ficou sempre em casa. Poderias ter voltado a trabalhar quando os nossos filhos tinham 10 anos e se desenvolvido, mas não quiz...
Sogra para sogro: Ah!, mas ninguém me queria mais no mercado de trabalho...
Sogro: e por que será??!...


3º causo:
Minha sogra:... se você não está com “vontade” de trabalhar, vc simplesmente não vai
Eu: ... como disse uma amiga: vou ligar amanhã pro banco e dizer que não estou com “vontade” de pagar a hipoteca esse mês... Será que eles aceitam?....
Minha sogra: ehhhhhh....


4º causo:
Eu: mãe, quando eu era pequena a sra trabalhava e na época dos filhos mais velhos, não. Agora eu lhe pergunto: Eu sou menos educada que meus irmãos? O meu cérebro é menos desenvolvido? Eu lhe respeito menos? E a pergunta mais importante de todas: eu lhe amo menos que meus irmãos e a sra me ama menos do que ama eles???...
Mãe: lentamente abana a cabeça de forma negativa quebrando uma noz..


E agora eu pergunto à vcs: na questão/escolha creche & em casa , por que são sempre as mulheres que são cricas e donas da razão nessa assunto?....

Égua!...

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Felicidade é...

Quem me conhece sabe que:

- Sou fã do Il Divo
- Gosto de ir à concertos, musicais, shows de música clássica e programações do gênero...
- Tenho uma mãe que também gosta deste tipo de programação (inclusive do Il Divo!).
- Somos companheiras de shows (sentadas, por favor, e em bons lugares!)
- Que gosto de mimar minha mãe, por que ela merece ser mimada.
- Que comprei um pacote especial para o show do Il Divo dia 1o de Abril em Antuérpia - com direito ao "meet & greet" (conhecer pessoalmente!) os 4 cantores do grupo, com os melhores lugares para o show e champagne! :)



Sério; sou uma pessoa super-tímida e nunca fui num "meet & greet" com artistas, mas não estaremos sozinhas com eles!...
Liguei a minha mãe pra dar a notícia/presente e só de escutar a alegria na voz dela, já clareou o meu dia!... :)

domingo, 16 de novembro de 2008

Se esqueceu... de sí mesma.

Uma de nossas vizinhas está agora em fase de separação depois de 25 anos de casada. Ela mora numa casa grande, bonita e não-geminada não muito longe da nossa. Ela é professora e tem 3 filhos. Dois deles já sairam de casa e somente a mais nova ainda mora com ela.
O pai, ex-marido em questão, como diz a minha irmã mais velha, está na “idade do lobo” e arranjou outra mais nova.
Os próprios filhos já sabiam há algum tempo da traição do pai quando ela descobriu... E ela perguntou pra minha irmã aonde foi que ela errou, por que ela sempre fez tudo pra ele. E fez mesmo.

Ele passou muito tempo desempregado enquanto ela o sustentava. Mesmo o ex. estando em casa quem cuidava do jardim e fazia o serviço pesado, era ela. Ela o ajudou a conseguir o emprego novo e não foi só isso de novo que ela arranjou pra ele. Se ele precisava de um carro, lá íam um carro novo zerinho pra ele, se ela precisava de um carro, um de 2a mão estava bom. Se ele precisava de uma bicicleta, lá íam eles a loja comprar uma nova fantástica! Pra ela? 2a mão novamente estava bom! E assim acontecia com tudo... Ela estava sempre em 2o plano...

Ele disse que o novo amor não foi proposital. Que ele tinha ingressos para um show e que o filho deles não queria ir. Por isso ele foi procurar na internet um(a) acompanhante. E adivinha em que site ele foi procurar?! No Marktplaats? Não. Num de “dating”... Não foi proposital, né? Mas foi à caça!

Ele saiu agora da casa, mora junto com a amante. E agora ela vê o tapete sendo puxado com força debaixo de seus pés. Ela não tem condições de bancar o casarão sozinha e ele também não quer bancar os custos da hipoteca. Provavelmente ele vai exigir a parte dele da casa e que ela, pra pagar, precisará vender a mesma.

Ela diz que não entende como ele foi capaz de abandoná-la e diz que não tem mais vida.
Verdade seja dita, ela não tinha uma vida há muito tempo, mas nunca se deu conta. Ela se anulou, não tinha opinião própria, se esqueceu de sí mesma.... Mas, ela ainda reza pra que ele volte pra casa, enquanto eu e a minha irmã pensamos que, por mais que seja barra pesada, a única chance de ela recuperar a vida é rezar pra que ele nunca mais volte!...

O destino de todas nós?...

Entro no meu orkut e vejo logo de início os "updates" de fotos das pessoas que estão na minha lista.
De 100 fotos colocadas, 95 são só dos bebês recém-nascidos. Não há, ou difícilmente aparece, uma foto com a mãe, irmão, pai, tio, madrinho, padrinho, vizinho, pato ou marreco.

No final das contas, a pulga coça atrás da minha orelha: será que depois que se tem filhos, nada mais interessa?!...

Meus não gostares

....
Não gosto de pagar contas. Acho injusto pagar para comer. Já disse isso antes: devia ser proibido pagar por qualquer coisa que dure menos de 7 dias ou vire cocô de alguma forma.
*
*
Não gosto de amigo folgado que acha que o que é meu é dele: meu celular, meu cigarro, minha máquina fotográfica, minha grana.
*
*
Não gosto de filme de terror. Cinema não é pra passar mal.
*
*
Não gosto de perder o controle, não saber o que falo ou faço, não estar firme para caminhar ou raciocinar. Por isso nunca me dei bem com as drogas e detesto tomar calmante.... Não entendo essa sensação de "liberdade" incompreensível. Sou super livre com meus pés no chão. Rio, me divirto, crio e saio da realidade sem precisar de agentes externos. Bem...já mensionei que nasci chapada?
*
*
. Não gosto de ingratidão.


... Trechos de um post de Mercedes Gameiro - Perfeita como sempre!...

Concordo com muita coisa, entre elas a do amigo folgado. Já perdi amizade por isso, mas a pergunta é: sera que era mesmo amigo? Ainda mais que só aparecia quando precisava de algo?…

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Holanda - De liberal para Moralista?

Dificilmente, melhor dizendo, raramente eu posto ou respondo um tópico na comunidade dos Brasileiros na Holanda no Orkut.
Hoje eu postei um que vou colocar aqui também sobre as novas leis ou discussões de lei que me colocaram bastante a pensar...

Seguindo as últimas notícias, a Holanda está discutindo tópicos que mudam ou mudarão radicalmente a sua imagem de país liberal.

- Desde de julho é proíbido fumar em locais públicos fechados.. Muitos fumantes e donos de bares estressados com essa decisão, mas confesso que pra mim foi a melhor lei criada nos últimos 20 anos na Holanda!... Os fumantes dizem que é discriminação (a minha própria cunhada fumante se sente discriminada, mas ela nunca pensou nas pessoas não-fumantes ao lado dela num café se sentirem discriminados por que eles tem que aturar a fumaça do cigarro dela!...)

- A partir de 1º de dezembro a produção e venda de Paddo’s (cogumelos que causam halucinações) será proibído. Fora isso, estão discutindo a possibilidade de fecharem os "coffeshops" na Holanda, por que a Holanda está de "saco cheio" dos turistas que vem por causa de drogas e causam problemas nas ruas. Primeiro, se há problemas não é só os "turistas" que causam, mas sabe como é que é Holandês sempre gosta de colocar a culpa total nos outros!
Por mim, se fecharem melhor! Sou contra drogas de todos os tipos e categorias.

- Tempo atrás o partido Cristão (ChristenUnie) queria proibir a exibição de filmes de (soft) porno na tv (mesmo que seja tarde da noite) como o “Garganta Profunda”(só do título já da pra achar graça!).
E agora uma política do PvdA (o PT Holandês) quer colocar em lei o “uso obrigatório de anticoncepcionais para mães ruins para que elas nunca mais engravidem”.
Sério, é impressão minha ou o governo está querendo bancar uma de papai e mamãe da população?...

É certo o governo se meter em detalhes íntimos da vida de uma pessoa ou de família como o uso obrigatório de anticoncepcionais para mães ruins? (Por que só vale pras mães e não para os pais ruins? Pedófilos? E outros do gênero?)...

Será que o resto do mundo notou que a Holanda está mudando ou querendo mudar a imagem de país liberal para uma mais conservadora?
Mas será que os meios escolhidos são o caminho certo pra obter o resultado?...

domingo, 9 de novembro de 2008

2ª carta

Oi filho,

Estamos no início de novembro. O outono alcançou o seu auge em tons de fogo e terra. Lá fora está a coisa mais linda!
Sua mãe adora fazer passeios nos bosques para admirar as folhas amarelas, laranjas e vermelhas das árvores, sentir o cheiro de ar fresco para depois chegar em casa e se refestelar num sofá quentinho com 2 bananas fritas com açúcar e canela no colo.
Venhamos e convenhamos, cheiro de outono é canela!...
Sei que você gosta também, por que você só me faz desejar comer banana assim e nada mais. Dá uma satisfação, uma felicidade, uma água na boca... É, é coisa da sua mãe grávida mesmo!...

Seu pai, como todos os últimos fins de semana, se enfiou no seu quarto e só deve sair de lá no início da noite. Se seus olhos pudessem ver a calma e a felicidade que você, em pensamento, já traz à ele, até você ficaria com os olhos marejados.

Como você já deve saber, seu pai é um perfeccionista, se ele pinta algo e não saiu do jeito que ele quer, ele lixa tudo de novo e começa do zero. Ele já fez isso umas 3 vezes no seu quarto até alcançar o resultado desejado. Então por aí você tira como o seu quarto ficará e quanto tempo e atenção ele dedicará à você! Nesse ponto você não poderia ter desejado um pai melhor. Ele já é louco por você só por te sentir mexer na minha barriga. Imagina quando você começar a chorar nos braços dele?!...

Ontem nós fomos à uma loja (http://www.babyhuyswebshop.nl/) em Harderwijk, uma tribo lá no cafundó do Judas, onde sua mãe conseguiu achar o quarto e o carrinho de bebê que escolhemos. Foi o único lugar que estava como uma promoção de 20% em cima de determinado valor e por isso nós conseguimos comprar o quarto dos sonhos e o Bugaboo que queríamos pra você com um bom desconto.

Sério, seus pais, leigos para qualquer assunto e produto maternal, não conseguem mais falar em outra língua que não seja “Bugaboo”, o seu super-hiper-confortável-seguro-prático carrinho de bebê!!!

Seu pai, ontem na loja, pegou o carrinho e fazia corrida na loja. Precisava ver como ele parecia feliz! Parecia uma criança e a vendedora só achava graça. Verdade seja dita, sua mãe está adorando ver a felicidade e o entusiasmo do seu pai. Ele também andou mudando tanto e isso tem facilitado bastante a vida da sua mãe que nem ela consegue acreditar... Sendo que para essas mudanças, a sua mãe tem que dar os créditos à 2 colegas de trabalho do seu pai! Ele tem 2 colegas que serão papai (um em dezembro e outro em abril) e eles andaram dando ótimas dicas e apoio ao seu pai! Disseram que ele não poderia esperar até dezembro pra encomendar o quarto do bebê por causa da entrega demorada de 12 semanas, falaram coisas sobre o carrinho de bebê, os pacotes com os produtos gratuítos para futuras mamães como o da Kruidvat, Prenatal e etc... Falaram sobre coisas que sua mãe nunca iria pensar que seu pai se desse conta dos detalhes. E só o fato de eles alertarem sobre a demora da entrega do seu quarto, o seu pai já queria encomendar o seu quarto o quanto antes! Graças à eles, sua mãe não tem que ficar mais se preocupando em alertar o seu pai sobre o tempo e o planejamento das coisas...

Até mesmo sobre o nosso armário de roupas e o da dispensa da cozinha que vamos pedir para o homem-faz-tudo fazer sob medida vai sair sem estresse nenhum. As decisões necessárias foram tomadas bastante rápidas e de acordo com os planos e da boa vontade (além do bom serviço ao cliente) do homem-faz-tudo, ele vai adiantar o nosso pedido e montar os armários (1 à 2 dias) logo assim que a sua mãe entrar de licença em janeiro. Assim estará tudo pronto na casa com 1 mês antes da sua data prevista e não teremos barulho de reforma quando você nascer!
Ahhh! Vai ficar fantástico quando tudo estiver pronto!...



Enquanto isso, o nosso querido Sky está mantendo um olho na reforma do seu quarto. Acho que até ele ficará empolgado com o resultado! ;)
Bjs, sua mãe

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Frase da semana:

"Seu (sua) filho(a) vai tratar você como você trata a sua mãe..."

Verdadeiro ou Falso?!

Pra casa, em casa...

- Meu líder-de-projeto legal me mandou pra casa. Yep... Ele disse que a minha gripe e minha voz de pato Donald já dura mais de 2 semanas. Disse que não é normal e que eu preciso de descanso e que estou sendo irresponsável.
Diante de tantas afirmações, eu resolví mesmo ficar em casa e dizer que estou doente.
Agora, falando sério, quantas empresas mandam o empregado pra casa por causa de uma gripe no Brasil? Só na Holanda mesmo!...

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Detalhes

Já faz(em)...

*Dois dias que durmo num colchão na sala por causa de alergia à tinta (do quarto do bebê)

*Alguns dias que eu leio o livro "Comer, Rezar e Amar" e me pergunto: "What tha hell I'm doing?". De fato, a mulher sabe (d)escrever, mas o livro é exageradamente "overrated"... Senhora-das-Minhas-Poucas-Horas, aonde eu fui perder o meu tempo!... Até Baré é melhor.

*Uns dias, semana, meses até, que eu quero que essa eleição dos EUA chegue logo ao fim! Já cansei de ouvir besteira, discursos cheios de hipérboles, preconceitos (in)diretos, repetitivos e acusações alegadas de serem verdadeiras, sinceras, honestas e tolerantes! Até parece a Holanda, que se alega o "País da Tolerância" e tem um ministério que se chama "Vreemdelingenzaken en Integratie" (negócios "estranhos" e integração - para aos estrangeiros nesta terra). Se é tolerante, pra que o tal ministério, então?!...
Ainda bem que essa novela das eleições termina amanhã!...

* Um dia que eu continuo achando injusto o Massa não ter ganho o campeonato de F1. O cara fez o trabalho perfeito no próprio país sobre imensa pressão do povo Brasileiro. Garantiu a pole, fez a corrida de cabo à rabo SEM UM erro no circuito Brasileiro considerado sempre uma loteria (vc nunca sabe quem vai ganhar!) sob chuva, onde São Pedro mandou suas águas nas últimas 7 voltas da corrida e na hora que o Massa recebe a bandeirada da vitória - ele é não só vencendor da corrida como do campeonato, mas que em menos de 15 segundos!!!, ele perde a vitória do campeonado na ÚLTIMA CURVA antes da chegada, por que o Hamilton passa o Alemão !#@&$^*!&#& Glock e consegue chegar no QUINTO lugar, garantindo assim o número de pontos que ele precisava para a vitória do campeonato com um ponto a mais que o Massa!
Fala sério?! Como pode alguém que fez tudo certinho ainda sair perdendo??!
Vocês viram?!

domingo, 2 de novembro de 2008

A gravidez da situação

Já faz uma semana que estou com uma gripe muito, muito chata. Garganta inflamada e nariz entupido. Cada tossida que eu dou, dá aquelas fiscadas na barriga, cada vez que assôo o nariz, dá sangramento... Minha energia está evaporando, minhas noites bem dormidas são raras e as coisas pra fazer vão se acumulando. É nessas horas que o famoso ditado "saúde é o que conta" é o clichê mais verdadeiro que existe...

Enquanto isso, aos poucos estamos tomando decisões do que queremos/precisamos comprar para o bebê. Ontem fomos na Baby-Dump. Amore até agora se concentra na reforma do quarto, enquanto eu tento deixar de ser uma leiga em assuntos de maternidade e produtos pra criança e vou me informando aos poucos sobre as melhores opções.
Ontem na loja, nós vimos os quartos selecionados e Amore, exigente como só ele, olhou a qualidade dos armários. Amore é daqueles que se abrir uma gaveta e ela "balançar", ele já desclassifica o produto. No final das contas, nós gostamos da (qualidade da) cama, da cômoda e do armário da série Bopita - modelo Tara.
Fora isso, eu também já lí um série de coisas sobre carrinhos de bebê & criança. Pesquisei em todos os sites de comparações como o "kieskeurig.nl", "Vergelijk.nl", do "Consumentenbond", além de resenhas de usadores e não deu outra. Deu Bugaboo Camaleon (2008) na cabeça. Ainda pesquisei bastante sobre o Stokke Xplory que tem a super-vantagem de ter a cadeira & caminha mais alto, mas este é ainda um pouco mais caro que o Bugaboo (uns 50€ à 100€ mais caro) e de acordo com as últimas pesquisas, a última versão do Bugaboo Camaleon (2008) é ainda melhor que o Stokke.


Stokke Xplory - verde


Bugaboo Cameleon 2008 - Silver

Na loja, Amore sem ter lido nada sobre o assunto, mas fazendo uns testes com uns carrinhos, acabou se encantando com a facilidade & qualidade do Bugaboo. Em 5 minutos, sem ter lido absolutamente nada, ele sabia todas as posições e possibilidades do carrinho. Montou, desmontou, dobrou e eu fiquei completamente besta (com ele, não com o carrinho).
No final, deu naquela (velha) história: sabe quando vc gostou de uma coisa, gostou mesmo, botou na cabeça e não quer saber mais de outra opção? Pois é, nós estamos nessa agora...

E agora é esperar que no início de dezembro apareça aquela super-mega-promoção para que a gente possa comprar os nossos "sonho de consumo" do jeito que a gente quer...

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Procura-se: um super-herói

Parte 1:
Lí algo sobre um atentado ou planos de atentado contra o B.Obama!?
É impressão minha ou estamos à beira de termos o episódio de "24 *
"Horas"
virando realidade??!
*
*
Cadê o Jack Bauer?...

Parte 2:
Outro dia falando com a Consulesa no tel e colocando os papos em dia, nós tocamos no assunto no absurdismo da situação do caso da Eloá (entre tantos outros no Brasil e mundo à fora como o da Nathalie H. e o $&*^#&* do Holandês culpado pela morte de quem eu me recuso a falar o nome) e nesses dias consulesa me mandou um e-mail com o seguinte texto escrito por uma pessoa (des)conhecida(?), mas que sinceramente descreveu muito bem o que muitos não querem admitir.
Vale à pena ler e refletir:


“O que pode criar um monstro? O que leva um rapaz de 22 anos a estragar a própria vida e a vida de outras duas jovens por… Nada?

Será que é índole? Talvez, a mídia? A influência da televisão? A situação
social da violência? Traumas? Raiva contida? Deficiência social ou mental?
Permissividade da sociedade? O que faz alguém achar que pode comprar armas de fogo, entrar na casa de uma família, fazer reféns, assustar e desalojar vizinhos, ocupar a polícia por mais de 100 horas e atirar em duas pessoas inocentes?

O rapaz deu a resposta: 'ela não quis falar comigo'. A garota disse não, não quero mais falar com você. E o garoto, dizendo que ama, não aceitou um não. Seu desejo era mais importante.

Não quero ser mais um desses psicólogos de araque que infestam os programas vespertinos de televisão, que explicam tudo de maneira muito simplista e falam descontextualizadamente sobre a vida dos outros sem serem chamados. Mas ontem, enquanto não conseguia dormir pensando nesse absurdo todo, pensei que o não da menina Eloá foi o único. Faltaram muitos outros nãos nessa história toda.

Faltou um pai e uma mãe dizerem que a filha de 12 anos NÃO podia namorar um rapaz de 19. Faltou uma outra mãe dizer que NÃO iria sucumbir ao medo e ir lá tirar o filho do tal apartamento a puxões de orelha. Faltou outros pais dizerem que NÃO iriam atender ao pedido de um policial maluco de deixar a filha voltar para o cativeiro de onde, com sorte, já tinha escapado com vida. Faltou a polícia dizer NÃO ao próprio planejamento errôneo de mandar a garota de volta pra lá. Faltou o governo dizer NÃO ao sensacionalismo da imprensa em torno do caso, que permitiu que o tal sequestrador conversasse e chorasse compulsivamente em todos os programas de TV que o procuraram. Simples assim.
NÃO. Pelo jeito, a única que disse não nessa história foi punida com uma bala na cabeça.

O mundo está carente de nãos. Vejo que cada vez mais os pais e professores morrem de medo de dizer não às crianças. Mulheres ainda têm medo de dizer não aos maridos ( e alguns maridos, temem dizer não às esposas ). Pessoas têm medo de dizer não aos amigos. Noras que não conseguem dizer não às sogras, chefes que não dizem não aos subordinados, gente que não consegue dizer não aos próprios desejos. E assim são criados alguns monstros. Talvez alguns não cheguem a sequestrar pessoas. Mas têm pequenos surtos quando escutam um não, seja do guarda de trânsito, do chefe, do professor, da namorada, do gerente do banco. Essas pessoas acabam crendo que abusar é normal. E é legal.

Os pais dizem, 'não posso traumatizar meu filho'. E não é raro eu ver alguns tomando tapas de bebês com 1 ou 2 anos. Outros gastam o que não têm em brinquedos todos os dias e festas de aniversário faraônicas para suas crias.
Sem falar nos adolescentes. Hoje em dia, é difícil ouvir alguém dizer não, você não pode bater no seu amiguinho. Não, você não vai assistir a uma novela feita para adultos. Não, você não vai fumar maconha enquanto for contra a lei. Não, você não vai passar a madrugada na rua. Não, você não vai dirigir sem carteira de habilitação. Não, você não vai beber uma cervejinha enquanto não fizer 18 anos. Não, essas pessoas não são companhias pra você. Não, hoje você não vai ganhar brinquedo ou comer salgadinho e chocolate. Não, aqui não é lugar para você ficar. Não, você não vai faltar na escola sem estar doente. Não, essa conversa não é pra você se meter. Não, com isto você não vai brincar. Não, hoje você está de castigo e não vai brincar no parque.

Crianças e adolescentes que crescem sem ouvir bons, justos e firmes NÃOS crescem sem saber que o mundo não é só deles. E aí, no primeiro não que a vida dá ( e a vida dá muitos ) surtam. Usam drogas. Compram armas. Transam sem camisinha. Batem em professores. Furam o pneu do carro do chefe. Chutam mendigos e prostitutas na rua. E daí por diante.

Não estou defendendo a volta da educação rígida e sem diálogo, pelo contrário. Acredito piamente que crianças e adolescentes tratados com um amor real, sem culpa, tranquilo e livre, conseguem perfeitamente entender uma sanção do pai ou da mãe, um tapa, um castigo, um não. Intuem que o amor dos adultos pelas crianças não é só prazer - é também responsabilidade. E quem ouve uns nãos de vez em quando também aprende a dizê-los quando é preciso. Acaba aprendendo que é importante dizer não a algumas pessoas que tentam abusar de nós de diversas maneiras, com respeito e firmeza, mesmo que sejam pessoas que nos amem. O não protege, ensina e prepara.

Por mais que seja difícil, eu tento dizer não aos seres humanos que cruzam o meu caminho quando acredito que é hora - e tento respeitar também os nãos que recebo. Nem sempre consigo, mas tento. Acredito que é aí que está a verdadeira prova de amor. E é também aí que está a solução para a violência cada vez mais desmedida e absurda dos nossos dias."


Ronaldo Gimenes


“Moral da história: Não também é educação!”

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Sobre o quarto do bebê

O nosso gosto é do estilo "robusto" para os moveis do quarto do bebê. Algo forte, de qualidade. Se vcs repararem bem as fotos, os armários são até parecidos, o que muda mais é a combinação de cores que eles usaram nas paredes e o chão escolhido. Como eu já disse, nós vamos colocar laminado no quarto. Achamos que é mais fácil limpar e é mais higiênico quando se tem gatos. Nós também gostamos muuuito das cores do quarto da primeira foto e vamos fazer algo mais ou menos nesse estilo. Eu mesmo adoro cores pasteis ou tons de "Terra" e quentes para dar energia ao ambiente.

De resto, no quarto nós ainda vamos colocar "stickers" ou acessórios com desenhos da Disney, mas ainda não sabemos qual: Mickey & Pluto, Winnie de Pooh, 1001 Dalmatas, Cars ou até mesmo Garfield (ho ho! sou louca por gatos e pelo Garfield e o meu filho há de puxar algo da mãe, não é mesmo!?)
De qualquer jeito, iremos fazer algo que depois não exige muito trabalho pra remover ou renovar o quarto, já que cada reforma que fazemos na nossa casa dá muito trabalho e acaba se tornando uma novela!...

domingo, 26 de outubro de 2008

Primeira ou Segunda mão? Eis a questão!

Okei! Eu já estou com quase 6 mêses de gravidez e a impressão que eu tenho é que o tempo está voaaaando!...
Amore começou a pintar o quarto do bebê, mas ele ainda tem que fazer a reforma de duas paredes, ou seja, o fim ainda não está à vista! Mas, os planos dele são de terminar tudo, inclusive a colocação do laminado, até o Natal.
E gente, vocês já pararam pra pensar que faltam somente 2 meses para o Natal?! 2 meses! (E eu terei 2 semanas de folga - eu nem acredito! :))

Enfim, voltando pro quarto do bebê. Ontem nós fomos na Prenatal. Olhamos os quartos de bebê. Alguém me diz que como pode um quarto de bebê custar de 1.500€ - 3.000€? Depois fomos olhar um combi-carrinho (2 posições: deitado & sentado), um novinho em folha, de boa qualidade, que o bebê usa +/- 1 ano, custa entre 800 à 1.000€!. Alguém aí me diz como um casal de salário mínimo ou uma mãe que educa o filho sozinha consegue comprar alguma dessas coisas?
E venhamos e convenhamos, até para quem pode pagar, esses preços são absurdos, ou não?!

Eu comecei a pesquisar no Marktplaats.nl para um carrinho e um quarto de 2a mão que seja do meu gosto e obviamente, mais pagável!
Eu ganhei muitas coisas da minha irmã mais velha, inclusive um maxi-cosi (uma cadeira especial para se levar o bebê no carro) e até uma cama de bebê. O bom é que eu só preciso comprar um colchãozinho novo, uma capa nova e pronto! Mas, nós não temos ainda uma cômoda, um armário e o tal carrinho.
Ví que um quarto completo (incl. com a cama que já temos) no Marktplaats do jeito que eu gosto, custa por volta dos 500€. Se a gente comprar um quarto completo, eu dou uma caminha pra minha sogra pra que quando nós formos visitá-la, o bebê tenha uma caminha lá pra dormir.

De resto eu achei também umas promoções na loja BabyDump. Um quarto novo do jeito que gostamos em promoção custa por volta dos 800€. Olhem aqui os quartos que eu gostei.

Como deu pra notar, nós queremos o quarto 'neutral'- de preferência branco, e como os acessórios coloridos nós iremos dar os toques de um quarto de menino.

E aí? Qual, na opinião de vcs, é mais bonito?! :)





sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Micos!

Estava no Youtube (pra variar) e ví o vídeo de gafes do programa do Márcio Garcia.
Pra fechar a semana, a maravilhosa sexta-feira, nada melhor que soltar umas boas risadas!...

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Livros

Durante as férias eu "devorei" o livro da Kate Mosse - O Labirinto.
No início foi um pouco difícil pegar o "fio da meada" por que o livro conta a história de 2 mulheres em tempos diferentes e fala sobre o "gral". Primeiro vc começa a ler a história que se passa no ano de 2005 e uns capítulos depois, começa a contar a história de uma outra mulher (de nome parecido) na época medieval. Depois que vc se acostuma com a estrutura das histórias, o livro se torna um vício, um verdadeiro "page turner". Ainda mais por que a história atual se mistura com a do passado da época medieval e o cenário de ambas as histórias se passa no sul da França, na região dos Perineus e de Carcassonne (cidade onde o filme de Robin Hood com Kevin Costner foi filmado), que é uma das cidades medievais mais lindas do mundo e que sempre atiçou a minha curiosidade de conhecer.

Fotos de Carcassonne






Quem me conhece sabe da minha fraqueza por cidades & castelos medievais e o livro mistura ficção com realidade sobre a época das Cruzadas. Pra quem gosta de história como eu, assim como coisas da época medieval, com certeza vai gostar deste livro!
Então, fica aqui a dica, além da dica de um dia visitar a região e a cidade de Carcassonne!...
Eu mesma já estou sonhando!... :)


E o livro que estou lendo atualmente (depois de ter lido livros sobre a educação de meninos e parto... :S) é o tããão falado, recomendado, nr 1 de vendas: Comer, rezar e Amar da Elizabeth Gilbert. Nos EUA as mulheres já falam deste livro como a "Bíblia" da mulher. Sinceramente, pra mim me parece um exagero, mas só existe uma maneira de descobrir! Vou ler e formar a minha própria opinião. Veremos se eu vou achar esse livro essa Coca-Cola toda...
Fui!

terça-feira, 21 de outubro de 2008

De casa...

Não sei se é uma gripe, não sei se é a minha energia se evaporando, mas além da noite mal dormida, eu não estou me sentindo bem.
Sentí pressão na barriga e estou, como eles dizem aqui, com a "barriga dura". Por isso tirei um dia pra ficar em casa e tentar relaxar.
Preciso aprender a relaxaaaar... Preciso fazer yoga, ficar zen, ying & yang... e preciso muito dormir bem!...

Enfim, vou-me! ZeeeeenZeeeeenZeeeeeennnn!!!!

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Sério?!...

Sabe aqueles dias que vc acorda azeda e vc não sabe nem o porquê?!
E sim, é segunda-feira e eu detesto! E como se isso não bastasse, parece que algumas pessoas tiraram justamente hoje pra me fazer perguntas estúpidas e sem noção!
Tja, isso não melhora o meu humor...
Se bem que eu já saquei que o meu problema hoje só pode ser hormonal, coisa que só complica mais em vez de trazer a lógica ou solução pro meu problema...

A única coisa que me ajudou e me fez soltar uma boa risada foi (a dança) do seguinte video:


Graças ao blog da Marcita, eu fui dar uma "zoiada" no youtube à procura do Menudo daquela "época". Gente, eu era fanzoca deles, mas olhando os vídeos agora parece piada!... Tô rindo até agora!...
Fui!

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Enquanto isso...

Casa:
Semana passada arrombaram a casa da minha irmã mais velha. Uma das 3 casas que foram arrombadas nas últimas semanas na nossa região.
Entraram pela porta de trás. Fizeram furos na altura da fechadura e daqueles trincos que tem em cima e em baixo da porta. Não chegaram a roubar muita coisa, só o dinheiro que estava na bolsa dela e da minha mãe (que estava dormindo lá), a camera digital e o celular. Parece que eles sairam correndo, na pressa e a minha irmã desconfia que foi quando ela levantou naquela noite para ir ao banheiro… Pra ver como essas coisas também acontecem na Holanda!
A polícia disse que 65% dos arrombamentos de casa ocorrem pela porta de trás e como a casa dela é solitária, fica fácil acessar… Como a nossa casa, que moramos na mesma rua, é cercada por outras casas e não tem saída pelo quintal de trás, a polícia diz que é mais difícil entrarem na nossa por que eles teriam sempre que pular o muro das casas dos vizinhos.
Mesmo assim, tanto eu quanto a minha irmã Kika ficamos preocupadas. Agora estamos todas nós tomando providências para aumentar a segurança das nossas casas. Ainda mais por que o seguro diz não pagar a indenização dos danos causados se medidas de segurança não foram tomadas para prevenção.

Então, pra quem não sabia, fica aí a dica!...

Trabalho:
Se lembram que antes das minhas férias eu falei que tive que fazer uma entrevista de emprego de novo na empresa para a mesma função que eu já tenho há quase 1 ano e meio e que eles queriam cortar o número de pessoas na minha função? Pois é, não sei quem ou quantos eles cortaram, mas o resultado foi que eu ficarei na minha função, ou seja, passei no processo de seleção...
Agora eu tenho um novo gerente (nr 6 em 1 ano e meio). É com ele que terei que “negociar” as minhas horas de trabalho depois que eu voltar da licença a maternidade. Sinceramente, eu ainda não sei no que vai dar e que tipo de gerente ele é! A idéia é que eu vá trabalhar 36 horas , sendo que algumas horas serão de casa , ou então, eu vou deixar de trabalhar um dia por semana (32 horas).
Amore também deverá ficar um dia em casa e os outros 3 dias o menino vai pra creche.

E por falar em creche:
Na nossa região (nossa tribo e mais a tribo vizinha) tem 3 creches em total, sendo que uma não é boa, a segunda tem os quartos de bebês no porão (!!) [eu ficou imaginando que se algo acontecer como por exemplo, um incêndio, as crianças fiquem presas lá em baixo] e a 3ª creche é formidável! É a creche onde os filhos das minhas duas irmãs vão e eles amam! Sem falar que eles, em certos casos, oferecem o serviço de buscar e deixar a criança em casa de carro (com cadeiras de segurança pra crianças).
O negócio é que na nossa região e em boa parte da Holanda, há uma lista de espera para crianças irem para a creche. Tanto que eles aconselham as pais, assim que descobrirem que a mulher está grávida, de ir se escrever o mais rápido possível (de preferência na mesma semana!) na(s) creche(s).
Acreditem ou não, mas eu fui na mesma semana que eu descobrí que estava grávida. Fui antes mesmo de ir ao médico e vcs não fazem idéia de como foi preocupante escutar de um senhor muito simpático da creche formidável que o nosso bebê estava em 8º lugar na lista de espera e como eles só tem 8 camas na sala de bebê (não podem aumentar, por que é tudo regulado por lei, inclusive quantas camas por m2!), aquilo significava que todos as camas teriam que ser desocupadas até a nossa vez! Saibam que um bebê/criança só deixa de ter aquela cama/quarto quando eles já sabem andar, senão não é permitido por lei. Ou então, por que os pais, por que motivo seja, retirem o filho da creche.
A previsão de acordo com o senhor da creche é que eles só teriam vaga para o nosso bebê no meado do segundo semestre de 2009! (e minha licença só vai até maio!). O conselho dele foi em me inscrever no máximo de creches possíveis, mas nas nossas mentes, só aquela servia!...

Aos poucos, o nosso número da lista de espera começou a baixar. Em alguns casos foi por que os pais tiraram a criança da creche. Outros por que algumas crianças aprenderam a andar mais rápido do que se esperava e por último, por que os pais não tem mais condições financeiras, já que haverá o aumento da mensalidade da creche e a diminuição da ajuda do governo aos pais para pagar os custos desta a partir do ano que vem. Resumindo tudo: durante as nossas férias nós recebemos o telefonema deles dizendo que o lugar para o nosso filho está garantido para maio! Fiquei super- feliz!

Um caso na creche que me cortou o coração foi que eles descobriram e avisaram aos pais que o menino tinha autismo, os pais então resolveram tirar o menino da creche e cuidar dele em casa. A creche desaconselhou, por que por mais que o menino necessitasse de uma ajuda especializada, a mãe não tinha paciência com o filho (mas falaram isso de forma diplomática) e o menino ficaria melhor na creche... Foi surpreendente ver como o pessoal da creche se sensibilizou com a estória do menino! Mas, infelizmente, com toda a ajuda que eles tentaram oferecer, os pais decidiram retirar o menino da creche e ficar com ele dentro de casa...

Enfim, são por essas coisas e também pela experiência que temos com os nossos sobrinhos que achamos que fizemos a escolha certa.
E agora que temos a vaga garantida, menos uma coisa pra se preocupar mais tarde! ;)

Fui! Bom findi à todos!

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Rodos

Ainda estava devendo, à pedido de algumas pessoas, as dicas de viagem sobre Rodos. Então aqui vai um resumo da minha experiência.

Geral
Nossas férias em Rodos foram de 8 dias num hotel all-in 4 estrelas em Kalithea. Paguei uma promoção que incluía a estadia no hotel, 24hrs comida & bebida (alcóolica tb, mas nem eu e nem Amore bebemos), os bilhetes de avião (Arkefly) e o “transfer” do aeroporto p/ hotel e hotel p/ aeroporto.
Fomos no final de setembro e voltamos no início de outubro. A temperatura em média estava entre 23 à 27 graus.

Rodos – a ilha em sí.
Tem 78 km de comprimento e uns 34 km de largura. As duas grandes atrações da ilha são Cidade-de-Rodos, a “capital” da ilha, também conhecida como a cidade medieval protegida pela Unesco e cidadezinha pitoresca (e extremamente turistica!) de Lindos – famosa por suas casinhas brancas e uma das Acrópolis a.c. mais bem “preservadas”. O resto da ilha tem outras cidades minúsculas e paisagens que variam entre o marron/laranja de rochas & secura e o verde de pinheiros.
Na regra geral a impressão que eu tive é de uma ilha de paisagem seca, rochosa, enquanto eu mesma prefiro uma ilha mais “verde” (como Madeira). Fora isso, há muitos prédios abandonados e outros tantos em construção.

Nós alugamos um carro em promoção por 3 dias (deu uns 116€ com tanque cheio e todos os seguros incluídos) e em 2 dias nós já tínhamos visto a ilha toda.
No final das contas, eu só achei que a cidade medieval e Lindos realmente valeram à pena. Também é legal visitar as cidadezinhas pitorescas com ruelas estreitas e engraçadinhas, mas em menos de 15 min. nelas e vc já viu tudo de tão pequenas que são.
Oito dias em Rodos são maaaais do que suficiente para descansar, fazer passeios e curtir a praia & piscina na minha opinião.

Hotel – Kalithea Horizon Royal - categoria 4 estrelas
Localização: Kalithea fica uns 6 ou 7 kms da Cidade-de-Rodos. O ônibus passava na frente do hotel e por 2 euros p.p você pode ir para a cidade e descer no final da linha que fica bem no centro da cidade.

A infrastrutura do hotel é bastante recente. Não ví nenhum defeito ou coisas quebradas. E o nosso quarto era bastante espaçoso, com varanda e vista pro mar. Tinha várias piscinas e com bastante cadeiras para todos os hóspedes. Como fomos fora da estação alta, notamos que a maioria dos visitantes eram da 3ª geração e com pouquíssimas crianças (umas 6?!).
Acredito que uns 65% dos hóspedes eram alemães, 20% Holandeses & Belgas e 15% Russos e outras nacionalidades.
Tinha 2 restaurantes: um buffet e um à la carte, mas para esse último eles pediam reserva e que vc fosse bem vestido (homens de patalon e nada de tênis). Como eu e Amore não tínhamos paciência pra isso, fomos sempre no buffet.
O buffet era preparado numa cozinha aberta e à vista de todos o que pra mim sempre foi uma boa indicação de qualidade. Pena é que o jantar era muito adaptado para o gosto “norte europeu” – ou seja, verduras (de freezer!) que vc nunca encontraria na Grécia como por exemplo: couve de bruxelas. Sem falar que tinha pouco tempero (sal) e a comida perdia a graça. O melhor jantar foi na sexta: noite Grega! Era todos os pratos típicos gregos e era um mais gostoso do que o outro! E ainda tinha gambas grelhadas!
Mas, na regra geral, entre o almoço e o jantar, eu preferia o almoço, por que eles sempre tinham pratos gregos típicos como “Moussaka” (parece uma lasagna só que com batata, carne moída e beringela. Uma delícia!!!).

De resto no hotel tinha um lugar para diversão com tênis de mesa, sinuca e mais uns 2 jogos de passatempo. Às 20:30hr tinha uma mini-disco pras crianças e o pessoal do hotel divertiam as crianças. E todas às noites tinha uma apresentação, mas eu confesso que nem eu, nem Amore não tínhamos vontade de assistir (tinham até uma imitação de Celine Dion!). Nós preferíamos mesmo jogar tênis de mesa e relaxar fazendo caminhadas ou curtindo a paisagem.

Na regra geral, pelo preço que pagamos o hotel estava acima da média, mas tinha uns detalhes negativos que eles poderiam melhorar facilmente. Esses eram:
- às 7hrs da manhã passava todos os dias um caminhãozinho do hotel de prédio em prédio (eram vários em um terreno bastante amplo) pra JOGAR sacos de roupas limpas para as camareiras começarem a trabalhar! Do quarto se ouvia tanto o barulho (estrondoso!) do caminhão, quanto os barulhos dos sacos sendo jogados! (E eu detesto barulho de saco!!!)
- Entre 8hr – 8:30 hrs as camareiras apareciam nos corredores e falavam alto, riam e muitas vezes gritavam para as outras camareiras no outro andar! Isso acontecia toooooodas as manhãs mesmo depois das queixas feitas! Ou seja, era impossível um hóspede dormir até mais tarde!
- O café da manhã era até as 10hrs, inclusive no fim de semana. Em quase todos os hoteis que eu fiquei era sempre até mais tarde...
- O hotel ficava perto da Cidade-de-Rodos, mas continuava sendo no “middle-of-nowhere”. Eu escolhí o lugar justamente pela calma (e pra não ter que ouvir outros turistas bêbados saindo das baladas altas horas da madrugada e rindo & gritando pra todo mundo ouvir), no entanto, o hotel oferece poucas opções de diversão ou ocupação. A piscina, sauna, massagem encerravam às 17hrs. Na minha opinião, encerravam muito cedo... No quarto tinha um DVD speler, mas eles não tinham nenhum filme pra se emprestar ou alugar!

- O vôo da Arkefly
Até agora a minha experiência com a agência de viagens Arke é boa, a única coisa que estragou foi a Arkefly, a companhia aerea da Arke.

Uma das companhias associadas da Arkefly, que fornecia os aviões, foi pra falência. Moral da história, para dar continuição às viagens, eles alugaram aviões “charters” e boa parte deles são velhos!
Na ida o nosso vôo foi mudado das 5 da manhã pras 10hrs, o que foi avisado com 2 dias de antecedência pela agência (maravilha!), mas quando já estávamos no aeroporto, o vôo teve mais atrazos (quase 3hrs) e só fomos partir quase 13hr da tarde. Tudo por que eles tiveram sééérios problemas com o “catering” do avião e acabamos viajando sem comida & bebida (o vôo durava 3hrs e meia).

Isso sem falar que eu paguei pra ir na “confort class”. Uma classe que oferece um pouco mais de espaço do que a econômica pra que eu pudesse mexer melhor as pernas no medo de ficar com as pernas e pés inchados também em consequência da gravidez. Mas, como os aviões “oficiais” não estão sendo mais usados, nós fomos e voltamos num avião que não oferecia a confort class e numas cadeiras que pareciam mais apertadas do que o normal. E sim, os meus pés incharam como previsto.

Agora que estou de volta, estou cobrando restituição, mas de acordo com a Arke ainda vai levar um tempo até eu receber a diferença de volta da confort class & economic class.
Conclusão: é bem capaz de eu voltar a marcar uma viagem com a agência Arke, mas de Arkefly? Nunca mais!

E sim gente, estou chegando ao fim desse longo post de forma crítica, mas, no final das contas, eu gostei das férias. Foi uma semana de descanso num clima bom, quentinho, mas com uma brisa agradável e suportável e com vista pro mar azul, azul!
Além disso, foi a minha primeira experiência com all-in. Posso dizer que a opção vale à pena, pois vc já sabe exatamente quanto vai gastar. Acho que isso permite vc fazer umas férias “mais baratas” e dentro de um orçamento fixo. Nesse ponto, eu recomendo e talvez eu mesma voltarei a repetir a dose no futuro.
Agora voltar a Rodos? Não, isso não preciso mais... Já ví tudo! ;)