sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Dicas para (futuras) grávidas:

Seguro de saúde: diferenças entre o “Basis” (Básico) e o “Aanvullende” (Complementar)

- O seguro básico só dá direito de parto no hospital por indicação médica durante a gravidez ou durante o parto em casa devido à complicações.

- O seguro complementar (aanvullende) cobre a escolha do parto no hospital. Além disso, em situações de doença, o seguro também dá mais direitos a tratamentos (inclusive diferente remédios), que não são oferecidos no seguro básico.
Fora isso, o “Kraamzorg” (cuidado após parto) que toda a mãe tem direito à 8 dias, incluí uma tarifa “Eigen bijdragen” (custos próprios) por volta de 3,80€ por hora. Através do seguro complementar o cliente tem direito de receber entre 50% à 100% de volta deste valor. A percentage que você tem direito de receber de volta depende do seu seguro.

Anestesia:
Como eu já comentei antes agora é o direito da mulher ter anestesia no parto desde que este seja feito num hospital. Essa é a nova diretriz imposta pelo NVGO.
Além disso, grande parte dos hospitais irão ou já adotaram o método APAD (Acoustic Puncture Assistance Device) para aplicação da Epidural que garante menos chances de erros. O método já utilizado desde 2007 no Hospital Jeroen Bosch in Den Bosch é um grande sucesso e os dois anestesiologistas deste hospital que inventaram o método também ganharam o prêmio Inovação em 2007.
Informe-se, caso isso lhe interesse, se esse método já é disponível no hospital da sua região.

Hospital:
Caso vc escolha ter o seu bebê num hospital – vc pode indicar o hospital de sua preferência/escolha a sua obstetriz. Além disso, hospitais oferecem em média uma vez por mês uma “visita guiada” nas secções de ginecologia, maternidade e obstetria. É uma noite de informação onde vc pode fazer perguntas sobre os detalhes e procedimentos durante o parto e pelo menos, um ginecologista está presente para responder as suas perguntas.
Essas noites são gratuiítas e anunciadas nos websites do hospitis. Na regra geral, futuras mamães e parceiros são bem-vindos a essas sessões a partir da semana 27 da gravidez.
Mesmo que vc planeje ter seu bebê em casa, vale à pena ir na noite de informação do hospital caso vc tenha que ir parar no hospital.

Importante mencionar que indicar um hospital de sua preferência não é garantia que vc irá parar lá quando a hora do parto chegar. Isso vai depender se o hospital ainda tiver capacidade disponível. Se não tiver, vc será direcionada para outro hospital que tenha.

Outra dica: em agosto de 2008 saiu o resultado da pesquisa dos melhores hospitais da Holanda no TOP 100.
Os hospitais levam bastante a sério essa pesquisa que é feita em média 1x por ano e tomam decisões à curto prazo para melhorar.
Nos websites dos hospitais há “updates” frequentes das melhoras feitas pelos mesmos. É sempre bom, por isso, olhar a colocação do seu hospital (ou os hospitais da sua região) e verificar que melhoras foram feitas. Além disso, vc pode usar essa informação para perguntar durante a noite de informação que mudanças eles fizeram para melhorar, caso vc tenha alguma dúvida.

Direitos determinados por lei:
Se vc trabalha (independente do nr de horas) vc tem direito à “zwangerschapverlof” (licença à maternidade). Recentemente a lei também se aplica a mulheres que são donas do próprio negócio.
A lei determina que toda a gestante tem direito à 16 semanas de licença. Por lei a mulher pode parar no mínimo 6 semanas, no máximo 4 semanas antes da data prevista do nascimento do bebê. Se a mulher tentar trabalhar além das 4 semanas determinadas por lei, se descoberta, a empresa será multada.

Depois que o bebê nasceu, a mãe tem direito ao restante da licença 16- 4= 12 semanas após o parto.

Durante esse período a mulher tem direito a um “uitkering” (WAZO e ZEZ para as independentes), que também é válido em caso de adoção. O valor do “uitkering” depende do seu salário. O valor máximo – em proporção ao seu salário – pode chegar à 179,90€ (dagloon) por dia.

No momento o governo Holandês está discutindo a possibilidade de aumentar a licença a maternidade de 16 para 18 semanas.

2 comentários:

Ana disse...

Holandesa, eu acho as condições muito boas pra ter filho na Holanda, essa das 4 semanas antes do nascimento, e mais a licença remunerada, inclusive pra quem adota. Tem alguma coisa para o pai ? Beijocas e espero que vc tenha repousado um pouco no finde.

Marina Moreau disse...

Olá.
Acabei sem qeurer aqui no seu blog quando procurava sobre parto na holanda no google.

Primeiramente, parabéns pelo bebê! :)

Adorei esse post que fizestes, me esclareceu algumas coisas. Estava com medo, mas muito medo mesmo do parto aqui, pois li coisas horríveis de meninas que passaram mals bocados.

Ainda não estou grávida, mas estou tentando. Moro a um ano aqui em Amsterdam com meu marido.

Seu post me deu um alívio imenso!

Se uma hora a gent epudesse trocar umas idéias a respeito, eu ficaria muito grata.

Vou deixar o meu email aqui: mmsmoreau@gmail.com

Abraços,
Marina Moreau.