quinta-feira, 21 de abril de 2011

Sei lá...


Acordei essa madrugada com palpitação, chorando, avassalada por uma tristeza imensa por causa da Luna. Me sentindo culpada. Uma péssima dona, mãe e tudo. Acima disso, bateu uma realização de que só faltam 6 semanas para a data prevista do parto. Bateu um desespero. Um medo. Uma tremedeira. Um ataque de pânico, associado com ansiedade... Não sei o que me deu. Ou sei... Mas, não sei o que fazer... Sei que os hormônios extrapolaram tudo o que estava acumulado e todas as minhas emoções e medo e eu não consegui mais dormir.

Marido e filho dormindo tranquilo do meu lado e eu uma tralha. Me levantei. Fui ao banheiro. Tentei controlar a respiração, os batimentos cardíácos. Chorei mais. Rezei e rezei mais pedindo desculpa à Luna, à Deus a São Francisco ('meu santo').
Desejei de que o Sky cuidasse da Luna e que ambos estivessem num paraíso...

Pensei que eu tenho que parar. Eu tenho que descansar e controlar as minhas nóias e medos. Na maioria das vezes (ou muitas) eu consigo relativizar. Pensar 'nas coisas' com os pés no chão.

Mas, tem dias ou noites, como essa última, que eu não sei mais de nada e nada mais funciona.

E durante o dia fica mais fácil 'aturar' ou pensar em outras coisas que ainda tenho que fazer antes de entrar de licensa. No entanto, eu noto que estou chegando aos meus limites.

A vantagem é que tudo passa... Esperar que amanhã seja um dia melhor. E que volte a ser quem eu sou...

8 comentários:

Alice disse...

Um beijo, minha querida. Pensa no meu sofrimento com minha querida Malu e relativiza...

Adriana disse...

Kátia, chore, se dê o direito de botar tudo pra fora, mas não se deixe entrar em depressão. Olhe tudo de bom ao seu redor, seu marido, seu filho lindo, sua casa do jeitinho que você queria. Vá desde já cobrindo sua vida de energias positivas pra nenê que vem aí. Pense que delícia é ter bebê novinho, cheirosinho, uma menininha lindinha pra encher de lacinhos e babados... Não dê poder para os pensamentos depressivos, quando eles vierem, dê resposta: obrigada Deus pela minha saúde, pelo meu marido e filho, pela minha família e minha filhinha que vem chegando. Na minha casa reina a paz. Força na peruca! Dri

Eliana disse...

Acredito que todo mundo tem uma hora assim, por diversos motivos. É normal, somos humanos, temos sentimentos. Nem sempre somos 100% seguros, fortes sobre tudo ao nosso redor. O que importa nesta hora, mesmo com este desespero inexplicável, é a sensatez que temos para discernir sobre os acontecimentos e, com serenidade, saber que nada pode nos abalar a ponto de nos deixar completamente impotentes. Acho que isso nos deixa mais sensibilizados e mais humanos para com nós mesmos e com as pessoas que estão ao nosso lado. Boa Páscoa!

Daniela Pedrinha disse...

Poxa... fiquei triste ao ler as últimas notícias. A gente fica sem palavras nessas horas, mas queria dizer para vc deixar fluir, chore o que tiver que chorar, lamente sua perda.. a tristeza tb é um sentimento que devemos "vivenciar" para que ele passe, se vá. Diferente do amor que qto mais vivenciamos, maior fica né :) Um beijo e um abraço bem apertado.

Monica Peres disse...

Chore sem medo ... ou com medo!
Coloque para fora, segurar não é normal!
Não tenha medo de ter seus 15 minutos de fragilidade escancarada, todas nós precisamos disso, alías digo isto para mim mesma todos os dias ....
Lembre-se também que a vida é um ciclo que não controlamos, sempre algumas coisas vão para que outras possam vir, nem sempre na hora que queremos ou desejamos, mas tudo acontece na hora que tem que ser!
Deus abençoe vocês 4!
bj
Mônica Peres

Juliette disse...

Normal bater uma tristezinha de vez em quando...uma vontadinha de chorar. Quanto a Luna, deve estar em alguma casa sendo paparicada, nada de ruim deve ter acontecido.

bj

Valerie disse...

Feliz Pascoa! Espero que tenha melhorado com os dias lindos de sol! Beijos

Juliette disse...

Poxa...so agora a lerda aqui viu o post anterior. Sinto muito pela gatinha, mas ninguem tem culpa. Relaxe.

beijo
Ju