terça-feira, 17 de novembro de 2009

A ginástica do trabalho & maternidade...

Quarta-feira, como muitos já sabem, é o meu 'mama-dag'. Dia que trabalho meio período de casa e a outra metade é 'ouderschapsverlof' [licença de pais] - horas não pagas, mas que tenho direito [por lei] e que tiro com prazer para, durante algumas horas extras na semana, eu possa curtir o meu filho.

Nessa semana, semana que vem e na outra, o meu mama-dag foi, digamos assim, assassinado por causa do projeto da reorganização na empresa. O gerente do projeto não levou o meu 'dia' em conta e eu estou tendo que me virar com o planejamento familiar.

Amanhã o marido vai trabalhar de casa cuidando do filhote, enquanto eu vou amanhã dar treinamento. Na semana que vem eu ainda não sei como vai ser, e na outra semana eu deverei estar em Boston.

Eu poderia ter batido o pé, dizer que eu não podia, mas eu estaria pondo em risco o meu trabalho e a minha carreira. Seria dar um tiro no pé no trabalho numa época difícil. E aí só resta a possibilidade de resolver o esquema em casa. E sim, vai dar certo. Meu marido e eu somos um time, por mais que vá ficar pesado para ele quando eu passar a semana fora, por que levantar várias vêzes à noite e noites seguidas por causa do filhote é de acabar com a bateria de qualquer um.
E ainda tem os cuidados diários de levar pra creche, buscar, dar banho, fazer jantar e ainda trabalhar normalmente diariamente...

É nessas horas que eu digo que na Holanda maternidade e carreira ficam difícil, por que na maioria das creches não dá para você de repente colocar o filho um dia extra para quebrar o seu galho naquela semana. Também não tem 'condução'(busão) para buscar e levar ou uma infrastrutura melhor para ajudar os pais. Céus, já é difícil conseguir uma vaga numa creche, imagina ainda pedir flexibilidade?

E vejam bem, não estou reclamando da creche em sí, por que diga-se de passagem, eu gosto da creche que filhote e meus sobrinhos vão [é a mesma]. E eu já ví que o trabalho deles é uma loucura e eu, de fato, não gostaria de estar no lugar deles! Eu também não sei se posso dizer que creche na Holanda é cara, por que se você parar para pensar, 6€ por hora, incluíndo comida, fraldas, horas de serviço de 2 'tias' mais me parece um serviço mal-pago do que caro! No entanto, no final do mês a conta de 740€ por 3 dias por semana na creche é algo que eu acho bem salgado! E sim, você recebe parte dessa quantia de volta através do imposto de renda, mas olhando o sacrifício que é combinar trabalho, casa, e família, você realmente se questiona se vale à pena e a troco de quê você está fazendo tudo isso!...

O que eu estou me dando conta agora é:
- Como eu já me acostumei 'folgar' metade de um dia na semana para ficar com o filhote. E como essa folga é boa para mim mesma!
- Como é difícil ser flexível em planejamento depois que se tem filho!
- Como é difícil ainda (man)ter a carreira depois que se tem filho sem deixar os gerentes exigirem demais ou esquecer de você de vez!
- Como o governo Holandês tem a cara e a coragem de 'querer que as mães vão trabalhar mais', mas não oferecerem boa estrutura para sustentar isso!...

Sério, não é fácil!

4 comentários:

Adriana disse...

Falou e disse Tiago vai a uma babá, o pró é que não há mais crianças com ele. O bom...flexibilidade...preciso muito!
E me sai mais barato por mês.

Jaboticaba Preta disse...

Este assunto me da arrepios! Até agora não consegui creche para meu jaboticabinha. E para piorar, papai-jaboticaba não é muito 'team-worker'.

Beijocas e boa sorte nas próximas semanas!

Ana disse...

Holandesa se na Holanda é assim nos EUA (por exemplo) é pior...licença maternidade é artigo raro, rapidissima, creche cara, saúde privada. Agradeça pelas belas condições que vc tem. Beijocas.

Lininha disse...

Tem que ter muito jogo de cintura mesmo...