sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come...

Sexta-feira passada eu fui para a entrevista com o ex-manager da empresa que me ofereceu o emprego.
A entrevista foi boa. Durou 1 hora e meia. 10 candidatos antes de mim foram rejeitados e eu ganhei a oferta. No entanto, eu pedi tempo para pensar. O porquê?
1- a empresa fica na caixa prego: Venlo. É uma viagem diariamente.
2- Além disso, tem que passar 2 à 3 dias por semana na França. Numa outra caixa prego acima de Paris. São 4 horas de viagem de carro de ida e mais 4 de volta. O que significa que passaria pelo menos 2 noites por semana longe de casa.

A função, por mais que seja muito interessante, é bastante pesada. É para ser a arquiteta-môr, gerente do time e participar do Management board. Como diria meu amigo Mico: ‘Não é um prato de merd@, é um balde cheio!’. De quebra: eles oferecem um salário bom e carro da empresa.

O fato do tal ex-gerente ter pensado em mim e me ofertado a função acareciou belamente o meu ego. [e também a minha insegurança].

Eu conversei com o marido sobre a opção e ele, como sempre, me deu o maior apoio. Mas, eu disse então que a minha resposta seria ter a sexta-feira de folga para compensar a minha ausência.

Essa foi a minha resposta para o ex-gerente que até agora não reagiu. No entanto, hoje o meu colega foi fazer a entrevista com ele.

Através da recruta nós ficamos sabendo que o ex-gerente mandou fechar a vaga (para não enviarei mais candidatos), o que nós fez concluir que ele fará uma seleção provável entre nós dois.

Eu confesso que mesmo que ele escolha por mim e dentro das minhas condições, eu estou nervosa. Combinar carreira na minha área com família/maternidade é algo muito difícil.

Enquanto isso, na empresa do marido também estão fazendo restruturação. Ele também vai ter que passar pelo processo de seleção para a mesma função que ele já exercita há 5 anos. Puff! Estamos os dois no mesmo barco!

E aqui na empresa, até agora não me chamaram para nenhuma entrevista... #detestoesperar!

2 comentários:

Nadja disse...

Nossa, querida!!! Fico aqui te desejando o melhor!!! Imagino o frio na barriga, a sensação toda. Sem saber direito o que vai acontecer, o que eu mais desejo é que não importe o resultado, vocês como uma família se fortaleçam cada vez mais!
Beijos

eliecy disse...

Se vc. tiver outra oportunidade de trabalho que fique menos tempo viajando e em casa eu aconselho de carteirinha. Ficar longe dos filhos por dois dias é barra!!! Agora mesmo tenho que viajar e vou faltar ao primeiro dia de aulas deles. Tô de coração partido!! Se tivesse outro trabalho, que me exigisse menos seria bem melhor para nós.