sexta-feira, 26 de junho de 2009

Cotidiano

Se lembram que eu disse que estava sem projeto? Pois é, eu fui atrás da sarna...

Umas pessoas dizem que não entendem por que eu tenho que ir a caça de projeto dentro da nossa empresa. Na verdade, eu não preciso ir atrás. Meu “resource manager” é responsável pela minha alocação, ou então, através de um pedido de algum líder de projeto. Eu poderia ficar quietinha no meu canto, olhando o vento passar, ouvindo os passarinhos cantar até o trabalho me achar ou cair no meu colo, mas eu não sou assim. Além do mais, estar parada em épocas de crise dá um sinal de obsolência e se tiverem que dispensar alguém, na hora do pega pra capar, é mais fácil mandar aqueles que estão no banco de reserva.

Acho que consegui um projeto interessante, graças também a ajuda do meu ex-lider do projeto legal. Fiquei lisonjeada com os complimentos que ele me deu e como ele me indicou. Isso foi muito legal.
E o projeto é na área que eu mais gosto. Só espero que eu dê conta do negócio e da pressão. Ou melhor, que eu tenha a capacidade de fazer o serviço bem-feito.
Eu preciso, preciso muuuito, para o meu ego e felicidade profissional, fazer a minha estrela brilhar de novo.

E sabem o que é contraditório nisso tudo?! É a fase que estou vivendo agora...

Apesar da crise e de ter ficado no banco de reserva no trabalho depois do meu regresso, parece que pela primeira vez, depois de muito tempo, a minha vida está equilibrada. Saúde, família, amor e trabalho, todos os 4 elementos “em paz”. Estou feliz. Simplesmente feliz!

Tenho até medo de falar para não dar urucubaca e estragar a minha festa. Além de que gente feliz é algo intolerável e chato para algumas pessoas, no entanto, se algo acontecesse comigo, eu gostaria muito que os meus queridos soubessem que eu não poderia pedir por mais nada nessa vida nesse momento. O “agora” está sendo a versão mais perto do que seria o paraíso para mim...
Obviamente, eu espero que nada me aconteça por que eu quero curtir muito a minha vida o máximo que eu posso, principalmente os meus amados, mas não custa nada expressar a minha gratidão por esse momento da minha vida, não é mesmo?!

Meanwhile, é sexta-feira! Fim de semana batendo na porta! Hoje à noite tenho jantar com as minhas amigas (Holandesas) da faculdade. Já fazem 8 anos que mantemos os nossos encontros algumas vezes por ano. Amanhã vou curtir marido, filho e hobby. Domingo temos, se S. Pedro permitir, churrasco com Clê, Betinha, Kits e minha irmã Kika e sobrinhos lá em casa...
Ou seja, só felicidade! :)

E para terminar, um som bem verão como trilha sonora! Barry White: You’re the first, my last, my everything!
AMO essa música! Essa foi por sinal a música de abertura da festa do meu casamento...

3 comentários:

Juliette disse...

Deu para sentir toda a energia desta paz, felicidade e alegria daqui...muuuito bom :))))

abraco
Ju

Anônimo disse...

Ola!

Aqui vai o comentario de alguem que tambem é feliz e nao ta nem longe querendo trazer urucubacas!
Deus me livre! Nao se preocupe com quem tenta trazer isso urucubaca so pega em gente com espirito fraco!Bom vim aqui mais uma vez trazendo meus elogios. Eu tava lendo alguns posts passados do e pensei comigo: Cara como ela consegue dar conta de tanta coisa:Trabalho, bebe, jardim, receita, livros,bichinhos, maridao! UFA! Ai eu me lembrei da sua historia ao chegar na Holanda os sacrificios e tal e pensei: Ah é mesmo ta explicado! Nossa eu nao sei se quando chegar a minha hora de ser mae se conseguirei ser tao prendada,trabalhar duro e ainda ter tempo de registrar tudo no blog!Minham mae costuma dizer que depois que somos mae tiramos uma força e uma disposiçao que nao sabemos de onde vem. E verdade? acho que essa energia toda deve vir do amor mutuo! Mas eu nao sei se o que facilita tambem é o fato de ter a sua familia por perto que pode dar uma maozinha! Por outro lado, fico vendo algumas mulheres que, mesmo tendo suas familias por perto nao dao conta da metade!! Nos conte seu segredo ahahah :-d

Beijos, bom findi pra vc e pro nene lindo!

Nina

Paula disse...

realmente ficar parada é a pior coisa, daina mais no nosso ramo e na época de crise. Como meu marido me disse um dia: credo você esta sempre precisando de mais "input" kkkkkk.

Agora o maior presente é perceber, reconhecer e aproveitar estas fases de felicidade zen na nossa vida. Muita gente nem percebe ou acaba não dando valor. Isso sim é que eu chamo de urucubaca!