quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Pra roer as unhas...

Queria poder contar aqui como foram as minhas férias em Rodos. Dar dicas, falar do que gostei e não gostei, mas não dá...
Hoje é o meu último dia de férias. Fiquei esses 3 dias "em casa" por que tinha uma série de coisas pra fazer. Queria passear com a minha mãe, ir na loja brasileira em Amsterdam, fazer compras, limpar a casa, cuidar da roupa, fazer coisinhas que sempre ficam sendo adiadas, mas até agora eu não consegui fazer metade do que eu queria.

E hoje é O dia... Já estou sofrendo com a ansiedade, medo e nervosismo já faz algumas noites. Hoje nós temos a ecografia de 20 semanas para saber se o bebê não tem nenhum problema de saúde e, quem sabe, ficaremos sabendo do sexo.

Meu maior medo é vir a descobrir que o bebê tem algum problema. Tenho medo por que estou positiva de que vai tudo bem, já que é assim que eu me sinto e se a ecografista-alma-seca me dizer que não, eu me sentirei completamente perdida!...
Sei que todo mundo diz que não é para eu me preocupar, para não me estressar, mas mesmo não querendo, é impossível evitar. Qual a mãe que nunca passou por isso?...

E por que será que depois que a gente engravida parece que a gente se torna covarde? Fica toda medrosa? Pensa em deixar de fazer coisas que sempre gostou, por que tem medo de que algo dê errado?... Por causa disso, outro dia conversando com Amore sobre as nossas escolhas de padrinho e madrinha, a gente começou a falar no assunto do "Se caso acontecer algo com a gente, quem a gente gostaria que educasse o(a) nosso(a) filho(a)?..."

Por mais que eu saiba como responder essa pergunta sem precisar pensar 1 minuto, a idéia de vc colocar uma criança no mundo, algo que veio de você e que talvez vc não possa viver o suficiente para cuidar dela, me dá um nó na garganta!

Eu queria evitar esse tipo de conversa, mas Amore tem razão quando diz que temos que estar preparados por que nunca sabemos o dia de amanhã...
E a pergunta é: Alguém aí já se preparou para isso? Com ou sem filho(s)?

Por que será que é só quando ficamos (bem) mais velhos ou nós tornamos pais & mães é que nós vemos confrontados com a nossa mortalidade e desejo de vida, heim? Por que será?...

2 comentários:

Nadja Saori disse...

Noss,a estou torcendo para tudo estar certo com seu bebê!!! Mas você está tão curiosa assim para saber o sexo ??? Não será surpresa então? Hhahaha
Acho que me deparei a primeira vez com a mortalidade de nós humanos quando eu tinha 16 anos e meu namorado morreu. Eu tinha ainda todos os avós, até bisavó para você ter uma idéia, foi um choque.. e então comeceia pensar que é realmente um ciclo, que é natural( na realidade isso demorou um pouco). Mas me lembro de no dia seguinte ao meu aniversário de 20 anos, eu ter pensado " agora sou mais velha do que ele já foi um dia" ... E tentar entender os caminhos dos deuses...

Boa sorte!!! Não fique tão aflita, tenho certeza de que tudo dará certo!E você todos vão se sair muito bem!

Vanessa disse...

estou enviando muitos pensamento bons e postivos para vc aqui beeem de longe!