terça-feira, 1 de junho de 2010

Circo dos Horrores: MTV's Sweet 16

Como eu já disse antes, na academia que eu frequento todos os aparelhos de cardio tem tv embutida. Para variar, na minha opinião, a teve Holandesa é pobre de programas bons. Obviamente que um dia por semana eles passam alguma série legalzinha, ou então, repetem os grandes sucessos como Sex in the City e Friends tantas vezes até você saber os diálogos de cor e salteado. Chega uma hora que enjôa!

Mas, enfim, quando eu estou malhando, eu prefiro escutar música ou assistir algo que eu ainda não ví. Ultimamente, eu andei assistindo a MTV e ví alguns episódios de Sweet 16. Alguém já assistiu? E um programa sobre mega-festas de aniversário de aborrencentes mimados, sem noções e totalmente ridículos. Sério, é de revirar os olhos trocentas vezes na cabeça! (E por que eu assito, heim?)

Tinha uma creyça que fez 16 anos, que além de pedir uma festa desproporcionalmente exibicionista e classisista, ainda pediu de presente de aniversário um Hummer. E aí se ela não ganhasse! A outra pediu até para a mãe da Beyonça para fazer o vestido dela da festa "Trash Texas" (sente o tema!) e um outro creyço de 16 anos estava fazendo audição de mulheres para 'danças exóticas'... Enfim, um mais bizarro que o outro!

Eu fico pensando na quantidade de aborrencentes que assistem esses programas e ficam pensando que isso é normal ou que seus pais tem que proporcinar esses tipos de aberrações, por que senão eles não fazem parte da tchurma?!. E, sim, é aquela velha estória do pobre & o rico que a MTV adora exibir.

E aí você pensa: Ah! Mas isso é só nos 'Estates'! Obviamente que não.
Todos nós sabemos que acontece no Brasil também, mas, talvez por que eu estou muito tempo fora, eu pensei que isso tivesse melhorado. Até que um colega Brasileiro do trabalho me disse que em São Paulo, para se ir numa boa (e famosa) balada à noite, é normal cobrarem 400 reais de entrada!

Sério, num país que o salário mínimo é 510 reais, querer gastar 400 paus numa noite só, é uma loucura! Isso que é só pra entrar. As bebidas não estão nem incluídas.
Obviamente que só riquinho e milionário no Brasil que pode pagar isso, mas infelizmente, tem sempre aqueles que vivem das aparências e vivem endividados por fazer essas aberrações. (Não é à toa que são dependentes dos pais, dos tios, tias, irmãos, cachorros, cutias...)

Esse colega disse que agora que ele mora na Holanda, quando ele vai no Brasil ele se nega a ir num lugar desses e pagar um preço absurdo que os Brasileiros cobram para selecionar a classe que frequenta o seu estabelecimento. No entanto, têm 'amigos' que pensam que pelo fato dele estar morando na europa, que ele pode bancar e bancar pros amigos também! (ho ho ho! seriam abusados ou interesseiros, heim?)
E agora, dizem que ele virou metido, só por que aprendeu a se afastar desses casos.

A impressão que dá é que quando a gente se afasta e aprende a ver as coisas de outro ângulo, a gente acaba vendo esses casos ou esses programas de tevê como um 'Circo de Horrores', que foi criado para explorar “coisas bizarras, mas não conseguem parar de olhar”.

É ou não é?

3 comentários:

Paula disse...

chamar de metido ainda é o de menos... porque realmente, quando vc vem pra cá e vê depois nossas patricinhas e mauricinhos tupiniquins que só sabem consumir e serem apapricados dá pra ter um chilique!

Eliana disse...

O problema é muito mais sério, isso se chama inversão de valores. Provavelmente o seu colega, você, e me incluo nesta não vemos sentido, valor algum, mesmo tendo os 400 reais, pra simplesmente poder entrar num lugar. Aí dá nisso, os valores não batem e vai ter gente vendendo a alma para conseguir ter os 400 reais e desfilar nestes lugares.

Adriana disse...

eu assistia, só pra ver os absurdos. E os pais dizendo apenas...- aahh faço tudo por ele(a).