segunda-feira, 9 de março de 2009

5a carta

Meu filho,

... Num dia eu sou responsável por um sistema e projeto que custa milhões de euros e que se parar por 3 dias, leva a empresa a falência e num outro dia, eu sou batizada com xixi, caca e vômito... E o “pior”, eu ainda acho graça!
É..., pra ver como tudo na vida é relativo e como ser mãe (babaca) é motivo de muitas risadas...

Já fazem quase 3 semanas que você nasceu e mudou o nosso mundo.
Quem diria! Sua mãe nunca foi “muito chegada a bebês”, não sabia o que fazer com eles (a comunicação é complicada! Vai praticamente na base do tipo de choro) e sua mãe tinha pesadelos (na verdade: nojo) de trocar fraldas, sem mencionar nas noites mal-dormidas, mas a frase de caminhão é verdadeira: “filho é que nem peido, você só atura o seu...”
Tá, eu sei, não é uma das melhores comparações, mas diga lá, que ser humano – sem estar sobre fortes influências hormonais – não se importaria de ser “batizado” a cada troca de fraldas?...

Ah! e por falar em hormônios, é impressionante o poder deles!... Parecem até uma droga: horas você está “high” de felicidades e outras horas você está “down” de dúvidas, tristezas e medos. Todo mundo avisa que após o parto, a mãe tem uma “queda” psicológica devido aos hormônios e chora até secar o poço. No hospital, mesmo com tudo que a sua mãe passou e sem falar na quantidade de drogas que ela recebeu (peridural, anestesia geral, morfina e paracetomol), eu estava bem com os “pés no chão”. Não tive a tal queda, crises de choros e sei lá mais o quê. Acho que foi por isso que a única enfermeira chatonilda do hospital teve a audácia de perguntar para a sua mãe, no dia seguinte a operação e ainda dopada, se ela estava feliz de ter se tornado mãe. Sinceramente? O queixo de sua mãe caiu de surpresa e depois deu até raiva dessa dita cuja! Como pode alguém dizer uma coisa dessas?!...

Infelizmente, muitas mulheres pensam que só porque você não teve parto normal, que você não tem um “bonding” (um elo forte) com o seu filho, mesma coisa se você não der o peito para amamentar, mesmo que você passe o dia inteiro ordenhando para dar leite materno ao seu filho quando o seu mamilo já está super-hiper-sensível. E ainda têm mulheres que pensam que se você não sentiu dor, você não ama. Parece coisa de mulher de cafajeste que gosta da apanhar...

De fato, quem pensa assim, tem uma versão distorcida de amor e dos outros sentimentos que se sente pelo seu próprio filho. Sem falar que eu acho injusto perante aos homens, que nunca darão luz e nunca darão o peito para amamentar, e por isso eles estariam deprivados de ter tal elo e um amor incondicional pelo seu próprio filho.
Mal sabem essas mulheres que amor é como líquido. Ele consume todos os espaços do seu ser e adquire todas as formas possíveis. Amor não dói, só dói quando não se tem e por isso, é independente das dores físicas... O que sentimos por você, filho, não dá para ser definido ou julgado por outras pessoas...


Foto: A felicidade do seu pai... No domingo, um pequeno passeio na nossa tribo quando o sol deu seus ares de graça com a promessa de primavera.


Verdade é que os sentimentos de sua mãe só foram dar mesmo vazão quando ela chegou em casa com você dias após o parto... Seu pai tinha arrumado a casa e enfeitado com balões azuis, verdes e branco, havia também buquês de flores e presentes que havíamos recebidos de várias pessoas e uma verdadeira coletânea de cartões com felicitações de todas as partes.... E aí, com tanta demonstração de carinho e com a paz de estarmos bem e em casa, o poço de sua mãe finalmente se esvaziou...




beijos, te amo,
Sua mãe


ps: clique nas fotos para aumentá-las

7 comentários:

Valerie disse...

Que fofo!!
Muito lindo seu relato...
beijos

Cintia EUA disse...

Achei sua carta lindissima, especialmente essa parte: "... amor é como líquido. Ele consume todos os espaços do seu ser e adquire todas as formas possíveis. Amor não dói, só dói quando não se tem e por isso, é independente das dores físicas... O que sentimos por você, filho, não dá para ser definido ou julgado por outras pessoas..."
Meu marido amou os baloes no quarto do bebe. Dependendo de como vai estar o ritmo aqui ele deve fazer o mesmo :) Deus te abencoe!!!

Holandesa disse...

Oi Cintia,

Um único detalhe. Esse foto dos balões é na nossa sala de estar, não no quarto do bebê... :)

Marcia-Rotterdam disse...

Lindo, o que mais dizer??

Danusa disse...

O seu relato como sempre lindo e emocionante. Parabens Holandesa pela força, garra e perseverança. So quem é mae sabe distinguir todos esses sentimentos.
Aqui em casa estamos nos ultimos dias de contagem da nossa bebezinha (faltam 2 dias para 40 semanas), ando muito nervosa porque queria mesmo nao esperar tanto mas esta dificil "convercer" a parteira fazer a cesarea..so Deus mesmo para nos dar tranquilidade.
um grande beijo em voces e muita saude e paz. Que Deus os abençoe a cada dia.
Danusa

Anônimo disse...

Holandesa, se você pretende amamentá-lo por pelo menos um pouquinho mais, seria melhor que o leite fosse dado em um copinho de transição, colher ou seringa. A introdução da mamadeira leva à confusão de bicos e o bebê desmama loguinho.
Aqui nessa comunidade tem um monte de informação sobre amamentação.
http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs.aspx?cmm=52101&tid=2551811669570321718&kw

Jo disse...

Mãe é mãe, amor de filho não tem nada a ver com mamadeira,com amamentar ou não... com parto normal ou cesárea, é um sentimento que só que é mãe sabe.Quem disse que precisa ter dor para ser mãe "saiu fora da casinha"...kkk...cada vez tudo se torna mais interessante, porque eles crescem muito rápido...APROVEITE!!!